Comunidade Matas está sem telefone há 100 dias

Os moradores do povoado Matas, distante 42 quilômetros da sede do município de Santa Filomena, reclamam que os dois únicos telefones públicos instalados naquela localidade estão danificados há alguns meses, deixando a população sem comunicação.

O problema está sendo considerado grave, pois obriga os moradores a se deslocarem até a cidade, para conseguirem se comunicar com parentes e amigos. São quase 150 famílias que estão praticamente incomunicáveis, perfazendo um universo de mais ou menos 700 habitantes.

Como se não bastasse esse descaso da Oi Fixo, responsável pelos orelhões ali existentes, a comunidade sente também o isolamento provocado pelas fortes chuvas caídas na região durante os últimos meses, que interditaram todas as vias de acesso.

O fato será denunciado à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), por meio da Câmara de Vereadores e do próprio Executivo Municipal, uma vez que não adianta mais fazer reclamações à empresa telefônica Oi.

Segundo a reportagem do GP1 apurou, a assistência técnica já esteve por duas vezes no local, porém não solucionou o problema e nem deu sequer satisfações aos usuários.

Quando reclamam à Oi, através do número 10331, a resposta que ouvem é em forma de deboche. Os atendentes chegam mesmo a dizer que aqueles dois orelhões só dão prejuízo à empresa e que não há como o técnico chegar até lá, além de outras alegações rotas, sem consistência.

Universalização da Telefonia Pública

Aqui vai um recado para a Oi Telemar. O telefone público pertence à gente de todas as idades, sexos, raças, credos e lugares, como é o caso do povoado Matas, no remoto município de Santa Filomena. É de todos. É uma das expressões de cidadania. Cuidar para que estejam sempre à disposição e funcionando é também, dever de todos e principalmente da Oi, a responsável pelo serviço de telecomunicações de telefonia fixa do nosso Estado.

A Lei da Universalização da Telefonia Pública, que é uma regra federal instituída, aprovada no ano de 2002, foi determinando as obrigações das empresas concessionárias de telefonia pública para instalação desses serviços de acordo com a população.

Hoje, pelos critérios estabelecidos por essa legislação e portarias baixadas pela Anatel, todos os povoados com mais de 100 habitantes devem ser contemplados. Ou seja, 101 habitantes a mais teriam direito a ter instalado pelo menos um telefone público.

O povoado Matas conta com dois telefones instalados (3569-1285 e 3569-1017), só que não funcionam. O que se percebe, de fato, é que a concessionária Oi tem criado todas as dificuldades para que o atendimento não aconteça com eficácia, chegando ao ponto de alguns dos seus servidores afirmarem que o povoado é inviável.

Tal afirmativa não coincide com a verdade. Afinal de contas, duas usinas de calcário funcionam nas proximidades do Povoado, o que prova haver grande demanda pelo serviço telefônico. Que a prestadora Oi Telemar cumpra, portanto, com sua obrigação de bem servir à coletividade. 

Voltar para a home

Link do texto:

Comunidade Matas está sem telefone há 100 dias
http://www.gp1.com.br/colunistas/comunidade-matas-esta-sem-telefone-ha-100-dias-4445.html

© 2007-2016 GP1 - O Primeiro Grande Portal do Piauí. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.

Sobre o autor

Blog do José Bonifácio com notícias sobre da região dos cerrados piauienses

busca

Arquivo