Vereadores denunciam prática de nepotismo em Ribeira do Piauí

- atualizado

A vereadora e presidente da Câmara de Ribeira do Piauí, Sylana Maria Aguiar Silva, e os vereadores José Domingos Vieira Teles, Kalazan Borges Pereira, José Domingos Vieira Teles, Tomé Marques Filho e Lidiane Ribeiro de Sá apresentaram denúncia de nepotismo junto ao Tribunal de Contas do Estado contra o prefeito Arnaldo Araújo Pereira da Costa.

Segundo os vereadores, alguns atos praticados pelo atual prefeito do município de Ribeira do Piauí têm chamado a atenção destes parlamentares por apresentarem fortes indícios de ilegalidade e contrariedade aos princípios que regem a administração pública.

Primeramente, chamou a atenção a nomeação de grande quantidade de parentes do prefeito, de vereadores e de secretários municipais.

  • Foto: Facebook/arnaldoaraujopereiradacostaPrefeito Arnaldo Araújo e a vice Maria LeônidasPrefeito Arnaldo Araújo e a vice Maria Leônidas

“No primeiro escalão foram nomeados para Chefe de Gabinete, o pai do prefeito, Jorge Araújo Costa; para Secretaria da Educação, Cultura, Desporto e Lazer, a esposa do prefeito, Maria Joelma de S. Carvalho Araújo; para Secretaria de Administração, Planejamento e Finanças, o primo do prefeito, Antônio Luiz de Araújo Costa Neto; para Secretaria de Assistência Social, sobrinha da vice-prefeita, Maria Margarida Teles de Carvalho. Conforme podemos verificar todos os cargos de primeiro escalão, com exceção da Saúde, foram ocupados por parentes do prefeito e da vice. Merece destaque a situação do pai do prefeito, que teve o mandato de prefeito cassado pela Justiça e foi denunciado pelo Ministério Púbico Federal na "Operação Geleira", e mesmo assim foi nomeado como Chefe de Gabinete.”, diz trecho da denúncia.

“É questionável também a capacidade técnica destas pessoas para ocuparem tais cargos, uma vez que foi considerado pelo gestor apenas o critério familiar, em flagrante afronta ao principio da impessoalidade e da eficiência da administração pública”.

E continuam, “mas ainda existem outras nomeações de parentes para cargos de menor escalão: para Controlador Geral do Município foi nomeado um sobrinho da primeira dama, Paulo Augusto Carvalho Bastos Júnior, que sequer é servidor efetivo do município, o que afronta diretamente a Constituição do Estado do Piauí; para direção do Hospital, foi nomeada a irmã do prefeito, Luiza Araújo Leonel da Costa; para o mesmo Hospital também foi contratada outra irmã do prefeito, Lucília Araújo Pereira da Costa; para secretária da Creche "Mãe Vicença", foi nomeada a cunhada do prefeito, Ana Silvia Pereira; para o CRAS foi nomeada outra cunhada do prefeito, Gracilene Pereira Miranda; como Diretora da Escola foi nomeada uma cunhada da vice-prefeita, Maria UrsuIina Araújo; para ser Diretora da Unidade Escolar Deputado Costa Neto foi escolhida a esposa de um sobrinho do prefeito, de nome Francisca”.

“Embora o Secretário da Saúde, Luizael de Sonsa Maia, não seja parente do prefeito, o mesmo tem contratado diversas pessoas da sua família para serem seus subordinados; a Senhora Crenilda, que é sua sogra, é a Tesoureira da Secretaria da Saúde; a Senhora Gislene, que é esposa do secretário, foi nomeada como supervisora da Secretaria, da Saúde; o Senhor Jaislan, que é cunhado do secretário, foi contratado como vigia do Posto de Saúde. O secretário ainda conseguiu nomear seu irmão, Otoniel, como coordenador de uma escola, na Secretaria da Educação”, denunciam.

“Outra possível ilegalidade detectada por estes vereadores, que entendemos merecer apuração deste Órgão Ministerial, é a contratação, por parte do município, de um trator de propriedade do Senhor Chico Antônio, esposo de Maria Leônidas, vice-prefeita do município, para trabalhar na coleta de lixo do município. O trabalho está sendo realizado pelo trator desde o dia 02 de janeiro do corrente ano”.

Pelo que se observa na cidade ainda existem outro veículos de parentes do prefeito, da vice-prefeita, vereadores e secretários contratados pela administração municipal.

“Por fim, mas não menos importante, causou espanto e estranheza aos vereadores a contratação por parte da prefeitura de escritório de contabilidade no valor mensal de R$ 13.763,00 (treze mil setecentos e sessenta e três reais), que perfaz um valor anual de R$ 165.156,00 (cento e sessenta e cinco mil e cento e cinquenta e seis reais) - Extrato de contrato publicado no Diário Oficial dos Municípios de 30 de janeiro 2017. Na gestão anterior era gasto com contabilidade mensalmente o valor de R$ 5.068,00 (cinco mil e sessenta e oito reais) para realização da contabilidade da prefeitura e R$ 2.364,00 (dois mil trezentos e sessenta é quatro reais), totalizando o valor mensal de R$ 8.432,00 (oito mil quatrocentos e trinta e dois reais) e anual de R$ 89.184,00 (oitenta e nove mil cento e oitenta e quatro reais). Existiu, portanto, de um ano para outro, o aumento de R$ 75.972,00 (setenta e cinco mil novecentos e setenta e dois reais), o que representa quase 100% de aumento, inaceitável para um município de pequeno porte e que o gestor reclama db insuficiência de recursos para custeio da administração.”

"A toda essa realidade, some-se o fato de que até o presente momento não foi realizado o pagamento dos servidores do município, não existindo qualquer explicação ou justificativa para tal realidade, uma vez que até a verba que coube ao município em virtude da repatriação ficaram nas contas do município quando findou a gestão passada”, finalizam os vereadores.

Outro lado

Procurado pelo GP1, na tarde desta segunda-feira (20), o prefeito Arnaldo Araújo não foi localizado para comentar as denúncias.

Voltar para a home

Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes aqui neste espaço são de responsabilidade civil e penal exclusiva do colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do GP1.


Sobre o autor

Rauristênio Bezerra é jornalista, economista e advogado. Contato: (86) 99407 2208

busca