Piauí - Teresina

Aegea assume serviço de abastecimento de água em Teresina

A assinatura da ordem de serviço aconteceu nesta sexta-feira (07), na sede da Aegea, localizada no centro.

BRUNA DIAS E THAIS GUIMARÃES

- atualizado

A Aegea Saneamento e Participações S/A, empresa contemplada para a subconcessão dos serviços da Agespisa em Teresina, passa a assumir o controle da operação do abastecimento de água na Capital. A assinatura da ordem de serviço aconteceu nesta sexta-feira (07), na sede da Aegea, localizada no centro.

“O que a população pode esperar é a qualificação dos serviços de água e esgotos de Teresina. Esse contrato, essa discussão vem há bastante tempo, fizemos o período de transição e a partir de hoje, a gente confia os destinos dessa qualidade desse serviço, nas Águas de Teresina”, disse Emanuel Veloso, presidente da Agespisa.

  • Foto: Thais Guimarães/GP1Emanuel Veloso, presidente da AgespisaEmanuel Veloso, presidente da Agespisa

O contrato entre o Governo do Estado e a Aegea foi firmado no dia 22 de março deste ano e prevê investimentos de R$1,7 bilhão para garantir o abastecimento de água e esgotamento sanitário de Teresina. A empresa vencedora do processo licitatório vai assumir os serviços até o ano de 2048.

"A partir de agora todo o sistema [da Capital] passa para a empresa Águas de Teresina, e agora, a Agespisa e o Instituto de Águas do Governo do Estado se voltam para buscar soluções para o fornecimento de água e tratamento de esgoto das cidades do interior. Lembrando que os servidores da Agespisa serão relocados para outras unidades da própria Agespisa e Instituto de Águas e também alguns órgãos do estado do Piauí", afirmou Ricardo Pontes, presidente da Emgerpi.

  • Foto: Thais Guimarães/GP1Ricardo Pontes, presidente da EmgerpiRicardo Pontes, presidente da Emgerpi

Ações

De acordo com o presidente da Aegea, Ítalo Joffily, uma das primeiras medidas a serem tomadas pela empresa será diminuir a falta de água durante o período de B-R-O bró.

  • Foto: Thais Guimarães/GP1Ítalo Joffily,presidente da AegeaÍtalo Joffily,presidente da Aegea

"Nós temos um eixo principal que é o eixo do contrato, que determina três temas prioritários: diminuir o impacto da seca, tentar universalizar o fornecimento de água para a população e o tratamento do esgoto. Nós também temos uma agenda emergencial, que visa atuar de forma preventiva e diminuir o impacto nesse B-R-O bró de 2017", explicou.

  • Foto: Thais Guimarães/GP1Assinatura da ordem de serviçoAssinatura da ordem de serviço

O presidente do Instituto de Águas, Francisco Costa, ressaltou a realização do plano emergencial feito pela Aegea para os próximos dias e os benefícios para a população. “As primeiras medidas a serem tomadas vão ser buscar diminuir a falta de água que acontece corriqueiramente no segundo semestre de Teresina, a partir de setembro. Já foi feito o plano emergencial pela subconcessionária, que já tem intervenções que nos primeiros 45 dias vão dar resultados, mas ao longo desse período vão ter investimentos e ações que vão melhorar o fornecimento de água, beneficiando mais de 50 mil habitantes”, declarou.

MAIS NA WEB