Piauí

Agentes penitenciários decidem deflagrar greve no Piauí

Os agentes desejam reajuste no adicional de insalubridade, reajuste no subsídio e melhorias nas estruturas dos presídios.

THAIS SOUZA

- atualizado

Agentes penitenciários do estado do Piauí deflagraram, na manhã dessa segunda-feira (11), greve por tempo indeterminado em todas as unidades prisionais do Estado. Os agentes reivindicam reajuste no adicional de insalubridade, reajuste no subsídio e melhorias nas estruturas dos presídios.

Em entrevista ao GP1, José Roberto, presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), informou que a maior motivação do movimento é a insensibilidade do Governo que nunca sentou com a categoria para ouvir as demandas. “O governador [Wellington Dias] foi para o Canadá, conhecer o sistema prisional canadense, mas antes de tudo ele deveria ter conhecido o sistema prisional do estado que ele governa. A greve é por tempo indeterminado. O movimento só vai cessar quando o governador [Wellington Dias] nos atender e atender as nossas reivindicações. Todo e qualquer tipo de ocorrência negativa que ocorrer nos presídios a responsabilidade é única e exclusiva do Estado. Se acontecer alguma coisa no período de greve o governo vai dizer na mídia que foi por causa da greve. Os presos morrem nos presídios, se rebelam, sem precisar de greve”, disse.

  • Foto: Divulgação/SinpoljuspiAgentes penitenciários decidem por greve no PiauíAgentes penitenciários decidem por greve no Piauí

“O secretário de Justiça [Daniel Oliveira] presta um péssimo serviço pra sociedade, e está se mostrando um verdadeiro mentiroso. Na verdade, essa gestão dele é só de média e mídia. A casa de Custódia tem um mil detentos, sendo que ela foi construída para 333, e são apenas 10 agentes penitenciários por plantão. Cadê a ressocialização se todo dia preso tenta fugir, preso morre, preso se rebela? Na penitenciária feminina tem 50 mil projetos de ressocialização, no entanto a reincidência é altíssima e existem fugas. Se fosse um paraíso, as presas não queriam fugir”, falou indignado, José Roberto.

Conforme o presidente do Sinpoljuspi, a atividade interna, atendimento básico aos presos, será realizada normalmente. José Roberto revelou que durante a greve serão suspensas as audiências, atendimentos dos advogados, visitas familiares e íntimas, e recebimento de novos presos.

Outro lado

Procurado pelo GP1 na manhã desta segunda-feira (11), o secretário de Justiça Daniel Oliveira informou, por meio de mensagem, que não podia atender ligações. O GP1 continua aberto para quaisquer esclarecimentos.


MAIS NA WEB