Política

Antônio Palocci faz reunião com Lava Jato para fechar delação

Palocci pode tratar em sua delação de casos de “corrupção de empresas do sistema financeiro, como bancos, além de conglomerados que não integram grupos de empreiteiras”.

SUYNARA OLIVEIRA

- atualizado

O ex-ministro da Fazenda, Antônio Palocci, começou a negociar com a força-tarefa da Operação Lava Jato para fazer um possível acordo de delação premiada.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, Palocci pode tratar em sua delação de casos de “corrupção de empresas do sistema financeiro, como bancos, além de conglomerados que não integram grupos de empreiteiras”.

Outro possível alvo da delação de Palocci seria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

  • Foto: Cassiano Rosário/Futura Press/Estadão ConteúdoAntonio Palocci Antonio Palocci

Antônio Palocci foi ministro da Fazenda durante o governo Lula e chefe da Casa Civil no primeiro mandato de Dilma Rousseff. Ele começou a ser investigado pela Lava Jato após suspeitas de ter intermediado o pagamento de R$ 128 milhões em propinas da Odebrecht para o Partido dos Trabalhadores (PT). Do total, segundo o Ministério Público Federal, ele teria ficado com R$ 6 milhões.

Palocci está preso desde setembro do ano passado, em Curitiba, quando foi preso na 35ª fase da operação. De acordo com o jornal, o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) deve julgar nesta terça-feira, dia 18, o habeas corpus que pede a sua libertação.

Na próxima quarta-feira (20), Palocci deverá ser interrogado pelo juiz federal Sergio Moro. Depois disso, só vão faltar as alegações finais de acusação e defesa e a sentença. Como afirma o jornal Folha de S. Paulo, “essa é a fase crucial em que um preso decide se faz ou não a delação já que, depois de sentenciado, ele enfrenta uma negociação muito mais dura para fechar um acordo”.


MAIS NA WEB