Piauí - Teresina

APPM inaugura sala de atendimento destinada aos prefeitos

Gil Carlos afirmou que o objetivo é garantir que os prefeitos piauienses possam ter um local adequado para trabalhar quando estiverem na cidade de Teresina.

BÁRBARA RODRIGUES E BRUNA DIAS

- atualizado

O presidente da Associação Piauiense dos Municípios (APPM), Gil Carlos (PT), realizou na manhã desta quarta-feira (5), a inauguração de uma sala de atendimento destinada aos prefeitos, além do lançamento de serviços de monitoramento e assessoria municipal.

  • Foto: Lucas Dias/GP1APPM inaugura SalaAPPM inaugura Sala

Gil Carlos afirmou que o objetivo é garantir que os prefeitos piauienses possam ter um local adequado para trabalhar quando estiverem na cidade de Teresina e explicou que a APPM vai disponibilizar um serviço de assessoria para que os gestores possam tirar suas dúvidas.

“É uma sala funcional, um escritório para os prefeitos, onde se tem um ambiente adequado, funcional, para que possam fazer seus despachos de maneira mais rápida, precisa e facilitando o trabalho do prefeito quando vem a Teresina. Outra sala muito importante é uma sala onde teremos técnicos qualificados, onde vão ajudar os prefeitos especialmente em relação a programas da educação e saúde e assim facilitando a captação e novos recursos por meio de convênio”, explicou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Gil CarlosGil Carlos

Questionado sobre a crise que atinge os municípios, ele explicou que os prefeitos estão buscando alternativas para o pagamento de dívidas e que municípios, como Campo Maior, possuem débitos de R$ 20 milhões, o que prejudica a realização de investimentos e aumenta a instabilidade financeira.

“O Brasil inteiro está [em crise]. Os municípios possuem um endividamento crescente em razão de precatórios trabalhistas e judiciais, dívidas com a Receita Federal, FGTS, com isso procuramos alternativas para amenizar o pagamento dessas dívidas dentro do orçamento do município. Uma das alternativas é o alongamento das dívidas como foi concedido aos estados, como também por exemplo, os precatório trabalhista, um acordo das prefeituras com os credores, para que se possa pagar de maneira mais alongada. Temos municípios, como Campo Maior, por exemplo, que só de precatório deve ser pago R$ 20 milhões até 2020, isso dá uma parcela mensal de R$ 500 mil, o que impacta o município, trazendo prejuízos para ações prioritárias”, disse.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Sala é inaugurada na APPMSala é inaugurada na APPM
  • Foto: Lucas Dias/GP1Prefeitos participam de inauguração de sala na APPMPrefeitos participam de inauguração de sala na APPM

Mais conteúdo sobre: