Piauí - Picos

Arimatéia Dantas pede apoio parlamentar para manter curso na UFPI

No Estado, o curso de medicina existe em três municípios: Teresina, Picos e Parnaíba.

ANDREIA SOARES

O curso de Medicina da Universidade Federal do Piauí, em Picos, inaugurado há quase um mês, precisa de investimentos para continuar a funcionar. O reitor da UFPI, Arimateia Dantas, afirmou ao GP1, que dá para manter a primeira e única turma existente atualmente na cidade, porém é preciso recursos para a formação de novas turmas. 

“Quero ressaltar que o curso não está em risco de fechamento, que temos recursos para manter essa turma até o final do ano e formar uma nova no próximo ano, mas precisamos de apoio parlamentar, para continuar a receber alunos e melhorar a infraestrutura”, destacou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Arimatéia Dantas, Reitor da UFPI Arimatéia Dantas, Reitor da UFPI

No Estado, o curso de medicina existe em três municípios: Teresina, Picos e Parnaíba. Em Picos, são 30 alunos que já estão estudando este ano e mais 30, com previsão para 2017. “Vou viajar para lá, justamente para conversar com os professores, ouvir as demandas, e analisar como está a situação de perto”, complementou.

O reitor esteve reunido com a bancada federal na última terça-feira (11), em Brasília, para pedir empenho parlamentar quanto à destinação de investimentos, por meio de emendas, que garantam a continuidade do curso na cidade. O deputado federal Mainha (PP), um dos defensores da implantação do curso, junto ao Ministério da Educação (MEC), se comprometeu em buscar o apoio da bancada. 

  • Foto: Patrícia SousaDeputado federal Mainha e Reitor Arimateia DantasDeputado federal Mainha e Reitor Arimateia Dantas
Mais conteúdo sobre:

Link do texto:

Arimatéia Dantas pede apoio parlamentar para manter curso na UFPI
http://www.gp1.com.br/noticias/arimateia-dantas-pede-apoio-parlamentar-para-manter-curso-na-ufpi-402825.html

© 2007-2016 GP1 - O Primeiro Grande Portal do Piauí. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.