Mundo

Ataque contra educação feminina intoxica 150 meninas afegãs

Quando estava no poder, o Taliban proibiu a educação de meninas e mulheres, mas após sua derrubada, em 2001, as escolas voltaram a recebê-las, especialmente na capital, Cabul.

Yahoo

Cerca de 150 estudantes ficaram intoxicadas nesta terça-feira depois de beber água contaminada em uma escola secundária no norte do Afeganistão, disseram autoridades, que responsabilizaram radicais conservadores contrários à educação feminina.

Quando estava no poder, o Taliban proibiu a educação de meninas e mulheres, mas após sua derrubada, em 2001, as escolas voltaram a recebê-las, especialmente na capital, Cabul.

No entanto, continuam ocorrendo periodicamente ataques contra meninas, professoras e os prédios escolares, normalmente nas regiões leste e sul do país, que são mais conservadoras e onde o Taliban tem mais apoio da população.

"Nós estamos 100 por cento seguros de que a água que elas beberam dentro das salas de aula estava envenenada. Isso é obra daqueles que são contra a educação das meninas ou de indivíduos armados irresponsáveis", disse o porta-voz do Departamento de Educação da Província de Takhar (norte), Jan Mohammad Nabizada.

Algumas das garotas, que vomitaram e tiveram dor de cabeça, estavam em situação crítica. Outras puderam ir para casa após receberem tratamento hospitalar, disseram as autoridades.

As autoridades disseram estar certas de que a água foi envenenada porque o veículo que abasteceu a escola não estava contaminado.

"Isso não foi uma doença de causas naturais. É um ato intencional para envenenar as meninas que estudam", afirmou o diretor do departamento de saúde pública, Haffizullah Safi.

Nenhuma das autoridades culpou um grupo em particular pelo ataque, por temerem algum tipo de retaliação.


Link do texto:

Ataque contra educação feminina intoxica 150 meninas afegãs
http://www.gp1.com.br/noticias/ataque-contra-educacao-feminina-intoxica-150-meninas-afegas-243895.html

© 2007-2016 GP1 - O Primeiro Grande Portal do Piauí. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.