Piauí - Picos

Audiência debate precariedade do Hospital Regional de Picos

Debate foi conduzido pela promotora de justiça, Micheline Ramalho Serejo Silva, e contou com a presença de representantes dos usuários e da direção do hospital

JOSÉ MARIA BARROS

- atualizado

Dezenas de pessoas lotaram as galerias da Câmara Municipal de Picos na manhã da última quarta-feira, 19, para participar de uma audiência pública sobre a precariedade do atendimento prestado pelo Hospital Regional Justino Luz (HRJL). O debate foi conduzido pela promotora de justiça, Micheline Ramalho Serejo Silva, e contou com a participação de boa parte dos vereadores, representantes da OAB, dos usuários e o diretor do Hospital Regional Justino Luz, Valério Genário Borges de Azevedo.

  • Foto: José Maria Barros/GP1Audiência pública reúne expressivo número de pessoasAudiência pública reúne expressivo número de pessoas

Durante a audiência pública, várias foram às denúncias de mau atendimento no Hospital Regional Justino Luz. As críticas foram direcionadas não somente a estrutura precária do prédio, mas, principalmente, ao tratamento dispensado pelos servidores aos pacientes que procuram a unidade de saúde em busca de atendimento.

A promotora Micheline Ramalho lembrou que o trabalho do Ministério Público junto ao Hospital Justino Luz vem sendo feito há dois anos e, em função disso, o atendimento tinha melhorado bastante, sendo alvo, inclusive, de elogios por parte da população.

“Para nossa surpresa, de uns quatro meses para cá esse atendimento retrocedeu e nós não entendemos o porquê disso. Por isso estamos realizando essa audiência pública para debater uma saída para o problema. O Ministério Público vai continuar atento para que as coisas possam funcionar, que o paciente possa ser atendido de forma humanitária” – apontou.

  • Foto: José Maria Barros/GP1Promotora de justiça, Miclheline SerejoPromotora de justiça, Micheline Serejo

O presidente da OAB-Subseção de Picos, Frank Bezerra, disse que o primeiro passo para mudar a qualidade no atendimento prestado pelo Hospital Justino Luz é o governo acabar com as indicações políticas para o cargo de diretor. Ele também condena as medidas paliativas, como pequenas reformas no prédio, que não atendem aos interesses da população.

  • Foto: José Maria Barros/GP1Presdiente da OAB-Subseção de Picos, Frank BezerraPresdiente da OAB-Subseção de Picos, Frank Bezerra

Outro lado

O diretor do Hospital Regional Justino Luz, Valério Azevedo, disse que a audiência pública é válida, mas, segundo ele, a unidade já vem passando por melhorias consideráveis. Ele acredita que após a inauguração da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) prevista para o próximo mês de maio e de mais dez leitos de UTI, o serviço prestado à população vai avançar em termos de qualidade.

  • Foto: José Maria Barros/GP1Diretor do Hospital Regional Justino Luz, Valério Azevedo.Diretor do Hospital Regional Justino Luz, Valério Azevedo.
  • Foto: José Maria Barros/GP1Audiência pública foi conduzida pela  promotora de justiça, Miclheline SerejoAudiência pública foi conduzida pela promotora de justiça, Miclheline Serejo
  • Foto: José Maria Barros/GP1Audiência pública debate precariedade no atendimento do hospital Justino LuzAudiência pública debate precariedade no atendimento do hospital Justino Luz