Política

Calero gravou conversa com Temer em que trataram do caso Geddel

De acordo com o Estadão, foram alvo do "grampo" de Calero Michel Temer, o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, e o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha.

DEISE KESSLER

- atualizado

O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero, em depoimento à Polícia Federal disse que recebeu pressão do presidente Michel Temer para liberar um empreendimento imobiliário em Salvador. Ele também afirmou que gravou conversas sobre este assunto.

De acordo com oEstadão,foram alvos do "grampo" de Calero, Michel Temer, o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, e o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. Segundo as investigações, Calero afirmou para a PF que recebeu pressão de vários ministros para que convencesse o Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan) a voltar atrás na decisão de barrar o empreendimento La Vue, onde Geddel diz ter adquirido um apartamento. Após a pressão de Geddel, Calero procurou Temer, no entanto, o presidente o “enquadrou” para tentar buscar uma saída para o caso.

  • Foto: Dida Sampaio/Estadão ConteúdoMarcelo CaleroMarcelo Calero

A conversa com Temer ocorreu no Planalto no dia 17, véspera do pedido de demissão de Calero. “Que na quinta, 17, o depoente foi convocado pelo presidente Michel Temer a comparecer no Palácio do Planalto; que nesta reunião o presidente disse ao depoente que a decisão do Iphan havia criado ‘dificuldades operacionais’ em seu gabinete, posto que o ministro Geddel encontrava-se bastante irritado; Que então o presidente disse ao depoente para que construísse uma saída para que o processo fosse encaminhado à AGU, porque a ministra Grace Mendonça teria uma solução”, diz a transcrição do depoimento.

O ex-ministro  divulgou nota nesta sexta-feira (25) na qual negou que o objetivo da audiência solicitada a Michel Temer tenha sido gravar a conversa com o presidente da República. No comunicado, ele atribuiu a disseminação dessa suspeita ao Palácio do Planalto.

Leia a íntegra da nota divulgada por Marcelo Calero:

A respeito de informações disseminadas, a partir do Palácio do Planalto, de que eu teria solicitado audiência com o presidente Michel Temer no intuito de gravar conversa no Gabinete Presidencial, esclareço que isso não ocorreu.

Durante minha trajetória na carreira diplomática e política, nunca agi de má fé ou de maneira ardilosa.

No episódio que agora se torna público, cumpri minha obrigação como cidadão brasileiro que não compactua com o ilícito e que age respeitando e valorizando as instituições.

MAIS NA WEB