Política

Câmara dos Deputados aprova projeto anticorrupção que pune juízes

Parecer da comissão sofreu diversas alterações durante a madrugada.

NAYRANA MEIRELES E ANDREIA SOARES

- atualizado

A Câmara dos Deputados concluiu após mais de sete horas de sessão, na madrugada desta quarta-feira (30), a votação do pacote que reúne um conjunto de medidas de combate à corrupção. O texto agora segue para a discussão no Senado.

Na madrugada, os deputados modificaram o texto que saiu da comissão especial e incluíram temas como a punição de juízes e membros no Ministério público por crime de responsabilidade. De acordo com o G1, a emenda, apresentada pelo PDT, lista situações em que juízes e promotores poderão ser processados, com pena de seis a dois anos de reclusão e pagamento de multa.

  • Foto: André Dusek/Estadão ConteúdoPlenário da Câmara dos DeputadosPlenário da Câmara dos Deputados

Além disso, também foi aprovada a criminalização do caixa dois, que se trata da doação de campanha não declarada à Justiça Eleitoral e que se tornou alvo de polêmica nos últimos dias. Pelo texto aprovado, a prática passa a ser condenada com pena de dois a cinco anos de prisão e multa e quem tiver recebido o dinheiro eleitoral ilegal pode responder por crimes como falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

Veja como foi o voto dos deputados piauienses: 

SIM

Iracema Portella (PP) - PI           
Maia Filho (PP) - PI        
Silas Freire (PR) - PI       
Átila Lira (PSB) - PI         
Júlio Cesar (PSD) - PI     
Assis Carvalho (PT) - PI
Heráclito Fortes (PSB) - PI          
Rodrigo Martins (PSB) - PI          

NÃO

Paes Landim (PTB) - PI 
 

AUSENTE

Marcelo Castro (PMDB) - PI


Link do texto:

Câmara dos Deputados aprova projeto anticorrupção que pune juízes
http://www.gp1.com.br/noticias/camara-dos-deputados-aprova-projeto-anticorrupcao-que-pune-juizes-405185.html

© 2007-2016 GP1 - O Primeiro Grande Portal do Piauí. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.