Brasil

Campanha do Governo Federal vira alvo de processo no Conar

Após polêmica, o Ministério dos Transportes decidiu retirar cartazes das ruas.

NAYRANA MEIRELES

- atualizado

O Conselho Nacional de Autorregulação Publicitária (Conar) abriu nesta terça-feira (10), um processo para julgar a campanha “Gente boa também mata”, criada pela agência Nova/sb para o Ministério dos Transportes, do Governo Federal.

De acordo com informações do G1, o processo foi aberto depois da reclamação de consumidores, que acusam a campanha de promover associação indevida entre pessoas que praticam boas ações e aquelas que matam no trânsito, e pedem a retirada de todas as peças publicitárias.

  • Foto: DivulgaçãoCampanha publicitária do governo federalCampanha publicitária do governo federal

A previsão é que a campanha seja julgada em até 40 dias pelo conselho de ética do órgão que auto regulamenta a publicidade no Brasil. Na semana passada, o Ministério decidiu pedir a retirada os cartazes distribuídos em mobiliário urbano, após a repercussão negativa nas redes sociais.

O Ministro Maurício Quintella admitiu o equívoco. "De forma isolada, algumas peças produziram mensagem equivocada, e isso acabou gerando a polêmica. Foi feito um 'mea culpa' dentro do governo, e está sendo recolhida toda essa parte mais polêmica da propaganda. Numa campanha de publicidade, tudo o que é preciso explicar já não é bom, mas há uma linha de publicitários que defende esse tipo de polêmica para chamar atenção para o fato", disse o ministro.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB