Piauí - Alto Longá

Candidato a vice-prefeito Eduardo Sindô nega prisão em flagrante

Eduardo Sindô negou a prisão e afirmou que tem direito deferido pela Polícia Federal do Piauí de possuir em sua residência uma arma de fogo. 

BRUNA DIAS

- atualizado

O candidato a vice-prefeito do município de Alto Longá, Eduardo Marques Fonseca Sindô (PMDB), enviou nota de esclarecimento sobre a notícia veiculada de que ele havia sido preso, no dia 02 de setembro deste ano, em Teresina, por posse irregular de arma de fogo. Eduardo Sindô negou a prisão e afirmou que tem direito deferido pela Polícia Federal do Piauí de possuir em sua residência uma pistola calibre 380 de dezesseis tiros. 

  • Foto: Facebook/Eduardo SindôEduardo Sindô (camisa jeans) ao lado do candidato a prefeito Belauto Bigode em caminhadaEduardo Sindô (camisa jeans) ao lado do candidato a prefeito Belauto Bigode em caminhada

Confira a nota na íntegra

Sou Eduardo Sindô, advogado e professor universitário, casado e pai de um lindo filho chamado Rubens; tenho ficha limpa e obtive a permissão da Justiça Eleitoral de ser candidato a vice-prefeito do meu município de Alto Longá-PI (veja no divulgacand 2016).

Não fui preso em flagrante por posse irregular de arma de fogo como foi mencionado pela mentirosa reportagem publicada por este portal GP1. Na verdade tenho o direito que fora deferido pela polícia federal do Piauí de ter em minha residência (docs anexos) uma arma de fogo – a saber uma pistola .380 de dezesseis tiros. Sou praticante de tiro defensivo e um defensor de todos(as) que quiserem, legalmente, exercer este direito previsto no art. 4º e ss da lei nº10.826/2003. Informo que continuo com minha arma no local autorizado, apto e treinado para agir em legítima defesa. como estou na disputa eleitoral de 2016 e incomodo gente grande usaram este portal para criar um fato político falso.

Este Davi sabe usar as suas ferramentas; se levanta para cair Golias que te enfrento em nome do senhor dos exércitos!!!

Requer a publicação do direito de resposta.

Teresina, 21 de setembro de 2016.