Enviar por e-mail

Enviar notícia por e-mail
Exemplo: nome@example.com. Para enviar para mais de uma pessoa, separe os endereços por vírgulas
Informe o seu nome
Informe o seu endereço de e-mail
Os comentários serão incluídos na mensagem

Comunicar erros

Comunicar erro na notícia
Informe o seu nome
Informe o seu endereço de e-mail
Descreva o que há de errado com esta notícia
10/05/2012 - 14h15
Minas Gerais

Carta de vítima é prova para indiciar ex-bancário por estupro de 1997 em Minas Gerais

Menina escreveu relato no dia que sofreu abuso sexual.

O ex-bancário Pedro Meyer foi indiciado por estupro e atentado ao pudor na manhã desta quinta-feira (10) pela delegada Margaret Rocha, chefe da Divisão Especializada de Atendimento da Mulher, do Idoso e do Portador de Deficiência de Belo Horizonte. Durante uma entrevista coletiva, a delegada disse que usou como principal embasamento uma carta de uma menina de 11 anos estuprada em 1997, que estava anexada ao processo daquela época. A vítima reconheceu o suspeito em março deste ano em uma rua do bairro Anchieta, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Margaret informou que a denúncia feita há 15 anos pela família da garota também foi acompanhada por ela. “Na época, a menina estava muito abalada e tinha dificuldade em falar sobre o assunto. Ela escreveu uma carta detalhando tudo que fez no dia do crime. Durante a descrição, ela cita o nome “Pedro” por três vezes se referindo ao autor do abuso sexual”.

Policiais especializados realizaram, na semana passada, um exame grafotécnico que, segundo Margaret, comprovou que a grafia é da vítima. Na carta, a menina relata que foi abordada pelo suspeito na portaria do prédio que morava quando ia à padaria. Ele teria ameaçado a garota, caso ela não fizesse tudo que ele queria. A delegada disse que foi realizado exame de corpo de delito, confirmando a presença de sêmen no vestido e na calcinha da garota. “O resultado do exame está junto ao processo, mas não conseguimos localizar as roupas porque na época não existia arquivo de provas como estas”.

O processo encaminhado à Justiça tem cerca de 150 páginas. Segundo a polícia, os abusos sexuais cometidos por Pedro Meyer aconteceram entre 1990 e 1998, quando houve uma onda de estupros a crianças e adolescentes em Belo Horizonte. Após a prisão dele, outras 15 mulheres procuraram a delegacia e novos inquéritos foram abertos. A delegada ressaltou que vai dar prosseguimento às investigações, que podem levar a outros indiciamentos.

Entenda o caso
A mulher que reconheceu Pedro Meyer como suspeito de estupro foi abusada quando tinha 11 anos, em 1997. Eles se encontraram por acaso em uma rua do bairro Anchieta, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, no dia 29 de março deste ano.

Segundo a Polícia Civil, quando andava na rua, a mulher reconheceu o homem e o seguiu até um edifício. Imediatamente, ela procurou a Polícia Militar, que encaminhou o suspeito para uma delegacia.

De acordo com a polícia, à época do crime, as investigações foram realizadas por dois anos, mas o caso foi encerrado a pedido da família da vítima. A corporação informou que Pedro Meyer confessou ao menos três estupros entre 1992 e 2005.

Fonte: G1

Keywords: mulher, belo horizonte, pedro meyer


Saiba mais sobre Notícias do Brasil

Leia também

Avalie:
Média de avaliações:
0 votos
Comente esta reportagem
Comentário
Escreva aqui seu comentário
De onde você é?
Escolha um Estado
Escolha sua Cidade
Quem é você?
Informe o seu Nome
Informe o seu E-mail!

Comentários (0)

  • Não há comentários nesta notícia

Publicidade

tempo real


Publicidade