Ciência e Tecnologia

Colírio desenvolvido no Brasil pode salvar visão de diabéticos

Tratamento evita sequelas e pode ser usado em prevenção.

NAYRANA MEIRELES

  • Foto: Divulgação/UnicampPesquisadora Jacqueline MendonçaPesquisadora Jacqueline Mendonça

Um colírio desenvolvido por pesquisadores da Unicamp de Campinas (SP) pode evitar que diabéticos desenvolvam uma doença ocular que pode levar à cegueira. Segundo cálculos da Organização Mundial de Saúde (OMS) há cerca de 422 milhões de diabéticos, sendo 16 milhões no Brasil.

De acordo com informações do G1, o novo medicamento ainda está em fase de estudos com ratos de laboratório e precisa ser testado em seres humanos. Mas, para isso, é preciso que alguma indústria farmacêutica se interesse pelo produto, adquirindo a patente e bancando as pesquisas.

Jacqueline Mendonça Lopes de Faria, da Faculdade de Ciências Médicas é uma das responsáveis pela pesquisa. “Essa fase de estudos em humanos é muito cara e precisa envolver vários centros de pesquisa. A primeira fase é feita em pessoas saudáveis para saber se o colírio é seguro. A segunda fase é em pessoas com a doença para saber se ele é eficiente em humanos”, afirma.

Após as primeiras fases ainda há testes em grupos maiores, com milhares de pessoas e por um maior período de tempo. Com o investimento nesses testes, o medicamento poderia ser habilitado para ser colocado no mercado em cerca de cinco anos.