Piauí

Comissão aprova criação de agência que beneficiará o Sul do Piauí

A criação da agência tem como objetivo de atender melhor a região que possui 73 milhões de hectares de área total, sendo 35 milhões de áreas disponíveis para atividades produtivas.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

Foi aprovada pela Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia da Câmara dos Deputados um projeto de lei que autoriza o Governo Federal a criar a Agência de Desenvolvimento do Matopiba, atendendo aos estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia. No caso do Piauí, a região beneficiada está localizada na região Sul do Estado.

O Matopiba é considero a última fronteira agrícola do Brasil devido a sua grande produção de grãos e fibras que está crescendo e batendo recordes a cada ano. A criação da agência tem como objetivo atender melhor a região que possui 73 milhões de hectares de área total, sendo 35 milhões de áreas disponíveis para atividades produtivas. Sua produção de grãos representa 12,8% da produção brasileira. Nas últimas três safras, a produção de grãos do Matopiba cresceu 49,4%, enquanto que a produção brasileira, no mesmo período, cresceu 11%.

  • Foto: Facebook/Fazenda ProgressoPlantação de soja Plantação de soja

Agora a proposta irá tramitar nas comissões de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural; de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Depois, segue para o Plenário.

O deputado Átila Lins (PSD-AM) apresentou a PL de nº 279/2016, onde estabelece que a Agência Matopiba irá planejar, articular e desenvolver programas, projetos e ações destinadas ao fortalecimento da infraestrutura agrícola da região do Matopiba, à inovação tecnológica no campo da agricultura sustentável e à orientação e ao apoio ao produtor rural.

“A produção da região do Matopiba será fator de segurança alimentar para o Nordeste, assolado por secas que matam as plantas de sede e os animais de fome. Milho, sorgo e soja são essenciais para manter a produção animal, como ovos, carnes de frango e de suínos e leite. Ganha a região e o Brasil como um todo: desenvolvimento regional mais equilibrado, com geração de mais empregos e renda e menos perdas na pecuária do semiárido”, afirmou o deputado em seu projeto.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB