Brasil

Conar pede que empresa Dolly retire propaganda de Páscoa do ar

Segundo o artigo 37 do Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária, usar crianças para pedir ou sugerir o consumo de produtos é vedada.

SUYNARA OLIVEIRA

- atualizado

O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) pediu para que a marca Dolly retire a propagada de Páscoa do refrigerante do ar. No filme, crianças aparecem vestidas de coelho cantando o famoso jingle da bebida. Ao final, uma delas diz: ‘Dollynho, eu te amo!’ e beija o boneco símbolo da marca.

Por unanimidade, o conselho advertiu a Dolly por utilizar crianças “como modelos para vocalizar apelo direto, recomendação ou sugestão de uso ou consumo” de produtos.

Segundo o artigo 37 do Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária, usar crianças para pedir ou sugerir o consumo de produtos é vedada. Ou seja, o problema não é a utilização das crianças no comercial, mas o fato delas fazerem a locução da propaganda.

  • Foto: Reprodução/YouTubeConar pede que Dolly retire propaganda de Páscoa do arConar pede que Dolly retire propaganda de Páscoa do ar

O processo contra a Dolly foi aberto em abril e julgado nesta semana, segundo o órgão. No julgamento, os conselheiros decidiram, por unanimidade, pela “sustação agravada por advertência ao anunciante”.

A Tholor, responsável pela marca Dolly, disse que ainda não recebeu nenhuma notificação do Conar referente ao caso. “A empresa se surpreende com a notícia, já que a Páscoa foi comemorada há mais 45 dias e o comercial é veiculado anualmente desde 2007 nas principais emissoras de televisão do país, sem nunca ter sido alvo de notificação do órgão”, informa a Dolly.

De acordo com a Veja, a propaganda continua sendo veiculada no canal da Dolly no YouTube e na página da empresa no Facebook. A Dolly disse que continua veiculando o filme porque ainda não foi notificada.

Mais conteúdo sobre: