Mundo

Coreia do Norte lança novo míssil balístico que sobrevoa o Japão

O lançamento foi confirmado pelas autoridades japonesas e sul-coreanos, que informaram se tratar de um míssil balístico de alcance intermediário.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

A Coreia do Norte lançou um novo míssil que sobrevoou o Japão e caiu no Oceano Pacífico, informou o G1. O lançamento foi feito próximo a capital da Coreia, Pyongyang, e gerou uma grande tensão no Japão nesta sexta-feira (15, pelo horário local do país), após ter sido disparado um alerta aos moradores.

O lançamento foi confirmado pelas autoridades japonesas e sul-coreanos, que informaram se tratar de um míssil balístico de alcance intermediário. Os cidadãos japoneses também foram alertados para ficarem longe de qualquer material que possa ser destroço de míssil.

  • Foto: CNA/via ReutersKim Jong-Un, líder da Coreia do NorteKim Jong-Un, líder da Coreia do Norte

Os testes realizados pela Coreia do Norte estão criando grandes tensões na região, principalmente devido as ameaças do presidente Kim Jong-Um, contra os Estados Unidos e o Japão. O gabinete presidencial sul-coreano convocou imediatamente uma reunião do Conselho de Segurança Nacional. Já o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, que estava na Índia, decidiu retornar para o Japão. O presidente dos EUA, Donald Trump, também já foi informado sobre o lançamento.

Teste nuclear

No dia 29 de agosto a Coreia lançou um míssil saiu próximo da cidade de Sunan, na Coreia do Norte, cruzou o território do Japão, se partiu em três pedaços e caiu no Oceano Pacífico, a 1.180 km do arquipélago japonês Cabo Erimo, em Hokkaido. Já em setembro, foi realizado um teste com uma bomba de hidrogênio, que pode ser carregada em novo míssil balístico intercontinental do país. O teste nuclear provocou um tremor de magnitude 6,3 no território norte-coreano.

Ameaças

Na segunda-feira (11) o presidente Kim fez ameças aos Estados Unidos, afirmando que lhe infligirá “o maior dos sofrimentos” se Washington prosseguir incentivando a ONU a endurecer suas sanções contra Pyongyang após seu sexto teste nuclear.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB