Política

Delação da Odebrecht envolve 12 governadores na Lava Jato

Executivos e ex-dirigentes da construtora narraram suspeitas sobre 12 governadores nas delações premiadas.

NAYRANA MEIRELES

- atualizado

Os executivos e ex-dirigentes da Odebrecht que fecharam acordo de delação premiada com a Operação Lava Jato citaram situações suspeitas envolvendo 12 governadores. Deste total, três serão investigados no Supremo Tribunal Federal (STF), por terem sido mencionados ao lado de outras autoridades que têm foro privilegiado na Corte.

Por ordem do relator da Lava Jato no STF, ministro Luiz Edson Fachin, os episódios que envolvem outros nove governadores foram enviados ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), foro competente para julgar os chefes dos Executivos estaduais.

  • Foto: André Dusek/Estadão ConteúdoMinistro Edson FachinMinistro Edson Fachin

De acordo com informações do G1, agora caberá ao STJ analisar o pedido e autorizar o início das diligências solicitadas pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Veja quem são os governadores citados pelos delatores da Odebrecht:

-Paulo Hartung (PMDB), do Espírito Santo;

-Geraldo Alckmin (PSDB), de São Paulo;

-Beto Richa (PSDB), do Paraná;

-Fernando Pimentel (PT), de Minas Gerais;

-Flávio Dino (PC do B), do Maranhão;

-Luiz Fernando Pezão (PMDB), do Rio de Janeiro;

-Marconi Perillo (PSDB), de Goiás;

-Raimundo Colombo (PSD), de Santa Catarina;

-Marcelo Miranda (PMDB), de Tocantins.


MAIS NA WEB