Política

Deputado Molon apresenta novo pedido de impeachment de Temer

“O governo Temer acabou! Já estamos com pedido de impeachment preparado", disse Molon.

BRUNNO SUÊNIO

Os deputados federais, Alessandro Molon (Rede-RJ) e João Henrique Caldas (PSB-AL), entraram ainda na noite dessa quarta-feira (17) com um pedido de impeachment do presidente Michel Temer, após a reportagem de O Globo revelar que o presidente havia sido filmado dando aval à compra do silêncio do ex-presidente da Câmara, preso, Eduardo Cunha. Há parlamentares que já pedem a renúncia do presidente.

“O governo Temer acabou! Já estamos com pedido de impeachment preparado. Se ele (Temer) tivesse dignidade para renunciar, renunciaria. Não há condições de fazer eleição indireta. Temer cometeu crime de responsabilidade. E que história é essa que não havia condições de continuar a sessão da Câmara? Que história é essa de encerrar a sessão para calar a oposição? É para proteger Michel Temer? Ele (Maia) estava totalmente alterado”, disse Molon.

  • Foto: Dida Sampaio/Estadão ConteúdoAlessandro MolonAlessandro Molon

De acordo com João Henrique Caldas, Temer não tem "condições mínimas para liderar o país rumo à saída da maior crise econômica de sua história". No entanto, para o deputado José Guimarães (PT-CE) Michel Temer deve renunciar à presidência e o impeachment seria uma segunda opção.

“O primeiro passo é a renúncia dele e a convocação de novas eleições. Se o Temer não topar, temos que fazer o impeachment. É isso que o país espera” destacou.

Luiza Erundina (PSOL-SP) foi outra deputada que também defendeu o impeachment: “Esse governo é uma farsa. A história vai cobrar esse preço. Não há outra saída senão o impeachment já. Fora temer, eleições já”, enfatizou.

CRIME DE RESPONSABILIDADE

O deputado Alessandro Molon argumentou que Michel Temer incorreu em um dos crimes de responsabilidade elencados na lei: delito contra a probidade na administração, tendo procedido de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), será o responsável pela análise do pedido de impeachment e decidirá se dá prosseguimento à solicitação, ou não.

“Rodrigo Maia terá que despachar o pedido, pois estamos diante de algo muito grave. Não acredito que ele não dará prosseguimento ao pedido”, disse Molon.

O deputado disse ainda que o segundo passo será requerer as gravações com Temer feitas por Joesley Batista e chamar as testemunhas do caso para serem ouvidas no Parlamento. Para Molon, a conduta está devidamente tipificada na lei de responsabilidade e, segundo as informações noticiadas, há provas robustas para que Temer seja submetido ao processo de cassação.

Já o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) afirmou que o Partido dos Trabalhadores também discutirá os termos de um pedido de impeachment.