Política

Dilma deu calote de 20 milhões de reais, diz João Santana

Segundo Santana, o dinheiro era referente ao pagamento dos serviços prestados nas campanhas de 2010 e 2014, onde Dilma foi candidata à presidência.

SUYNARA OLIVEIRA

- atualizado

O marqueteiro João Santana disse em um dos depoimentos da delação premiada na Lava Jato, que a ex-presidente Dilma Rousseff e o PT lhe darem um calote no valor de 20 milhões de reais. Segundo Santana, o dinheiro era referente ao pagamento dos serviços prestados nas campanhas de 2010 e 2014, onde Dilma foi candidata à presidência. O montante foi oriundo de caixa dois.

Ainda segundo o marqueteiro, em maio de 2014, Dilma disse que havia encontrado uma forma de quitar os valores de 2010 que não haviam sido pagos. Dilma contou para Santana que iria tirar o tesoureiro João Vaccari da negociação e substituí-lo por alguém de sua confiança, o então ministro da Fazenda Guido Mantega. Vaccari não era uma pessoa com quem a presidente Dilma tinha uma relação amistosa e de confiança, afirmou Santana.

  • Foto: Ivan Pacheco/VEJA.comJoão Santana e Dilma RousseffJoão Santana e Dilma Rousseff

De acordo com a Veja, o anúncio da troca foi feito durante um almoço entre Santana e Dilma no Palácio da Alvorada. Na ocasião, Dilma disse que, se tudo corresse da forma como ela esperava, ele receberia todo o dinheiro referente a 2010 e, pela primeira vez, teria o pagamento antecipado dos serviços prestados em 2014, que seriam acertados antes mesmo das eleições.

Porém, os planos de Dilma não deram certo. “No início das gravações do horário eleitoral, em agosto, eu disse: ‘Olha, presidente, não se cumpriu nada. Nem o pagamento das dívidas de 2010 nem o que a senhora havia prometido. Até agora o Guido não deu nenhuma solução'”, disse Santana. Dilma então teria se mostrado “extremamente irritada”. Mesmo assim, o problema perdurou. “A dívida no final era de 20 milhões de reais, que nós nunca recebemos”, afirmou Santana.

MAIS NA WEB