Política

Doações de Temer para chapa de 2014 foram de apenas 6% do total

Michel Temer (PMBD) doou apenas 19,8 milhões de reais, cerca de 6% do valor total de 350, 4 milhões de reais, para a chapa que reelegeu Dilma Rousseff (PT) nas eleições presidenciais de 2014.

SUYNARA OLIVEIRA

- atualizado

Quando foi candidato a vice-presidente, Michel Temer (PMBD) doou apenas 19,8 milhões de reais, cerca de 6% do valor total de 350, 4 milhões de reais, para a chapa que reelegeu Dilma Rousseff (PT) nas eleições presidenciais de 2014. As informações são da colunista Mônica Bergamo, na edição desta sexta-feira do jornal Folha de S.Paulo.

As informações são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e indicam que este foi o valor recebido pelo hoje presidente na conta “Eleição 2014 Michel Miguel Elias Temer Lulia Vice-Presidente”, em uma agência do Banco do Brasil. Dos 19 milhões, cerca de 16 milhões foram destinados a campanhas para governadores, deputados e senadores do PMDB pelo país.

Com isso, Temer ficou com pouco mais de três milhões para gastar em promoção do seu nome como postulante à vice-presidência. De acordo com a Veja, este valor representa apenas 1% dos valores gastos pela chapa Dilma-Temer, segundo a declaração de contas ao TSE. Temer contou ainda com um valor restante, cerca de 92 mil reais, que foram transferidos para a conta do PMDB pelo presidente.

  • Foto: Getty ImagesPresidente Dilma e Michel TemerPresidente Dilma e Michel Temer

A chapa Dilma-Temer está sendo acusada pelo TSE por abuso de poder econômico, com o recebimento de valores indevidos para o financiamento da campanha. O TSE pede a cassação da chapa que foi eleita em 2014. Na prática da decisão, hoje, seria a saída do presidente Michel Temer do cargo, já que Dilma Rousseff já teve o mandato cassado pelo Senado Federal, em agosto do ano passado.

A defesa de Temer pede que as contas de presidente e vice-presidente sejam separadas, alegando que o peemedebista não tem responsabilidade sobre eventuais delitos cometidos pela campanha de Dilma. Temer alega ainda que a houve prestação individual de valores recebidos, supostamente descolada da petista.

Porém, os advogados de Dilma defendem a unidade da chapa. Apesar dessa discordância, ambos negam as acusações de abuso de poder econômico feitas pelo PSDB, partido que propôs a ação ao TSE.

MAIS NA WEB