Mundo

Donald Trump reconhece Jerusalém como capital de Israel

O anúncio foi feito, nesta quarta-feira (06), um dia após diversos apelos da comunidade internacional para que a decisão não fosse tomada.

BRUNNO SUÊNIO

- atualizado

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, anunciou que reconhece Jerusalém como capital de Israel e que pediu ao Departamento de Estado que inicie o processo de transferência da embaixada americana, atualmente instalada em Tel Aviv, para lá.

O anúncio foi feito, nesta quarta-feira (06), um dia após diversos apelos da comunidade internacional para que a decisão não fosse tomada. "Hoje finalmente reconhecemos o óbvio: que Jerusalém é a capital de Israel. Isso é nada mais nada menos do que o reconhecimento da realidade. Também é a coisa certa a fazer. É algo que tem que ser feito", declarou o presidente americano.

  • Foto: REUTERS/Kiyoshi Ota/PoolDonald TrumpDonald Trump

O reconhecimento de Jerusalém como capital é considerado polêmico, uma vez que os palestinos querem Jerusalém Oriental como capital de seu futuro Estado, e a comunidade internacional não reconhece a reivindicação israelense sobre a cidade como um todo.

"Meu anúncio marca o começo de uma nova abordagem no conflito entre Israel e palestinos. Com o anúncio reafirmo o comprometimento da minha administração com um futuro de paz", afirmou Trump.

Para o presidente americano, Jerusalém deve continuar sendo o lugar sagrado e local de culto de judeus, muçulmanos e cristãos. Trump também disse que o dia pede "calma, vozes de moderação", para que a ordem prevaleça sobre o ódio. Ele disse que o vice-presidente Mike Pence irá ao Oriente Médio nos próximos dias.

A decisão de Trump faz com que seja cumprida a lei que prevê o reconhecimento de Jerusalém como capital que foi adotada pelo Congresso americano em 1995. A aplicação da lei vinha sendo adiada nas últimas duas décadas sob justificativa de "interesses de segurança nacional".

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro israelense, reagiu dizendo que o anúncio é uma "decisão valente e justa" e um "marco histórico". O premiê afirmou que qualquer acordo de paz com os palestinos deve incluir Jerusalém como a capital de Israel e pediu que outros países sigam os EUA na decisão de transferir suas embaixadas a Jerusalém.

Já o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, disse que Trump "violou todas as resoluções e acordos internacionais" e que os EUA perderam seu papel de mediador na construção da paz.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB