Piauí

Emater e agricultoras assinam projetos do Semeando Cidadania

O projeto Semeando Cidadania visa à prestação de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) no Território Entre Rios.

- atualizado

O Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Piauí (Emater) promoveu, nesta semana, o ato de assinatura de projetos do programa Fomento Mulher para os moradores do assentamento 17 de abril. Ao todo, serão beneficiadas 60 mulheres com a elaboração de um projeto produtivo e concessão de um fomento de R$3.200, que serão investidos em cada projeto. O fomento será concedido por meio do cartão do Bolsa Família.

O projeto Semeando Cidadania visa à prestação de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) no Território Entre Rios, por meio da equipe técnica do Emater. A ação conta com a parceria do Incra e pretende levar capacitações e fomento no valor de 3.200 reais por meio do Fomento Mulher, a agricultoras familiares; e R$ 6.200 por meio do Fomento Família para mais de 12 assentamentos reconhecidos pelo Incra.

A ação prevê também a elaboração de projetos produtivos de unidades de produção familiar, além de orientar, acompanhar e avaliar a aplicação dos créditos de instalação concedidos. Os projetos podem ser de natureza agrícola – avicultura, suinocultura, horticultura e outras e não-agrícola – produção de bolos e pães, salão de beleza, artesanato e outros.

De acordo com o coordenador do projeto Semeando Cidadania, José Gerônimo, nesta etapa serão beneficiadas apenas as mulheres, e a atuação do Emater se dará na elaboração dos projetos, tirando as dúvidas com relação à aplicação do fomento e assistência técnica. “Após a assinatura, os projetos são enviados para o Incra, onde seguirão para aprovação e liberação dos recursos. Cada mulher vai receber um fomento no valor de R$ 3.200, que serão aplicados no projeto de interesse de cada uma”, disse Gerônimo.

Para a moradora Vicensa Gomes, a chegada desses recursos pode fazer a diferença na hora de aumentar as finanças. “Esse projeto será um bom incentivo para aumentar a produção. Meu projeto é para a fabricação de temperos e, a partir dele, pretendo crescer mais e mais”, disse a beneficiada.

O diretor-geral do Emater, Marcos Vinicius, a expectativa é grande com mais este benefício para os agricultores familiares. “Espera-se que este crédito específico para mulher tenha um resultado satisfatório. A maioria dos projetos é avicultura. Embora o valor não seja tão grande, o importante é saber aplicar, e é por isso que temos uma equipe técnica competente. E, daqui a um tempo, esse valor será multiplicado. É isto que o Emater e o Governo do Estado querem: gerar recurso e sustentabilidade para o homem e a mulher do campo”, finalizou o gestor.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB