Economia e Negócios

Emprego formal cresce no país no mês fevereiro após quase 2 anos

O dado foi anunciado em coletiva de imprensa pelo presidente Michel Temer e pelo ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, no Palácio do Planalto.

SUYNARA OLIVEIRA

- atualizado

No mês de fevereiro, o Brasil criou 35.612 empregos com carteira assinada, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Esse número é bastante positivo, já que nos últimos 22 meses o país estava registrando mais perdas de vagas. Esse é o melhor resultado para fevereiro desde 2009. No acumulado do ano, contudo, o país ainda tem recuo de 5.475 postos de trabalho.

O dado foi anunciado em coletiva de imprensa pelo presidente Michel Temer e pelo ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, no Palácio do Planalto.

"Vocês sabem que a economia brasileira volta a crescer e os sinais desse fato são cada dia mais claros. Em fevereiro, por exemplo, o número de empregos formais de 35.612 vagas", disse Temer.

  • Foto: DivulgaçãoCarteira de trabalhoCarteira de trabalho

Cinco de oito setores tiveram resultados positivos no mês de fevereiro. Entre estes, destacam-se, pela ordem, os serviços (+50.613 postos), administração pública (+8.280 postos), agricultura (+ 6.201 postos) e indústria de transformação (+3.949 postos). Os setores com desempenho negativo foram comércio (-21.194 postos) e construção civil (-12.857 postos).

A Região Sul obteve melhor resultado na criação de empregos com 35.422, depois aparece a Região Sudeste (24.188) e Centro-Oeste (15.740). As regiões Sul e Centro-Oeste tiveram saldo positivo em todos os estados. Nas regiões Norte e Nordeste, o número de dispensas superou o de contratações, com reduções de 2.730 vagas e 37.008, respectivamente.

De acordo com o Estadão, São Paulo foi o estado que teve o maior saldo de empregos em fevereiro (25.412), seguido de Santa Catarina (14.858), Rio Grande do Sul (10.602), Minas Gerais (9.025) e Goiás (6.849).

Mais conteúdo sobre: