Piauí - Teresina

Empresário é acusado de chamar crianças de 'macacos' em Teresina

As vítimas têm entre oito e doze anos de idade e foram ouvidas nesta quarta-feira (17), na Delegacia de Direitos Humanos e Repressão as Condutas Discriminatórias.

BRUNA DIAS

- atualizado

A Delegacia de Direitos Humanos e Repressão as Condutas Discriminatórias investiga denúncia de que quatro crianças foram vítimas de preconceito racial quando brincavam na pizzaria Cantina Italia, localizada na Avenida Joaquim Nelson, no Parque Ideal, zona sudeste de Teresina. O fato aconteceu no dia 29 de abril e as crianças foram ouvidas somente nesta quarta-feira (17).

De acordo com o delegado Emir Maia, o proprietário do estabelecimento se dirigiu até o local onde as crianças brincavam e começou a ofendê-las. As vítimas têm entre oito e doze anos de idade. “A família chegou para comer uma pizza, uma família negra, pai, mãe, filho e três sobrinhos, comeram a pizza e quando a criançada foi brincar no pula-pula, o dono do estabelecimento, sem motivos, chegou e começou a ofender a dignidade das crianças, dizendo que ali não é lugar para macaco estar pulando. As vítimas se retiraram, bem como todas as pessoas que estavam consumindo no local. Eu fui procurado, instaurei um inquérito policial e hoje as vítimas foram ouvidas", relatou.

  • Foto: Google MapsPizzaria Cantina ItáliaPizzaria Cantina Itália

Segundo o delegado, o dono da pizzaria será ouvido e se as ofensas forem comprovadas, ele responderá por injúria racial. "O proprietário vai ser ouvido ao final. Hoje, com o depoimento das crianças, uma delas afirmou que, categoricamente, ele chegou lá e disse que não era local para macaco. Se essa afirmação ficar comprovada ao final, vai ser injúria racial, racismo”, explicou o delegado.

Outro lado

Procurado pelo GP1, no final da tarde desta quarta-feira (17), o dono da pizzaria identificado como Alfredo preferiu não se manifestar sobre o caso e afirmou que vai falar somente perante o juiz.