Piauí - Teresina

Empresário Franklin Kalume diz que não sabia de dívida com Eletrobras

De acordo com o empresário, ele solicitou a instalação do medidor de energia na época da compra do referido imóvel, no entanto, tal serviço não foi realizado pela Eletrobras.

GIL SOBREIRA

- atualizado

O empresário Franklin Kalume Brigido, proprietário do Grupo Kalfix, preso na manhã desta sexta-feira (14) pelo Greco, acusado do crime de furto de energia, esclareceu o ocorrido e afirmou não era responsável pelos pagamentos das contas junto a Eletrobras.

  • Foto: Facebook/Franklin Kalume BrigidoFranklin Kalume BrigidoFranklin Kalume Brigido

De acordo com o empresário, ele solicitou a instalação do medidor de energia na época da compra do referido imóvel, em um condomínio na zona leste de Teresina, no entanto, tal serviço não foi realizado pela Eletrobras Distribuição Piauí.

Confira a nota.

“Quero esclarecer aos amigos que o ocorrido foi em minha residência. Foi solicitado, na época da compra desse imóvel, a ligação do medidor, o qual não foi instalado. Como minhas contas pessoais, e de minha mãe, são todas pagas na empresa, não acompanhava estes pagamentos. Diante do acontecido hoje, ao questionar meu colaborador, responsável pelos pagamentos, porque nunca tinha me avisado que não estava pagando, me respondeu que não pagava nem a minha, nem da minha mãe. Achava que ambas era débito automático, o que de fato acontecia com a da minha mãe, só que, no meu caso, a minha nunca tinha vindo, e a Eletrobras nunca me notificou a falta do medidor, uma vez que todos os apartamentos tinham medidor e o meu não, e mensalmente vinha o funcionário deles fazer a leitura! Pago só em uma das fábricas, mensalmente, em torno de R$13.000,00, R$15.000,00 e não iria deixar de pagar a conta de um apartamento que moro só! Sei que a imprensa gosta de sensacionalismo, mas quem me conhece sabe que jamais faria qualquer ato desta natureza!”, justificou.

Entenda o caso

O empresário Franklin Kalume foi preso na manhã de hoje (14), pelo Greco, por furto de energia. Em entrevista ao GP1 o delegado Willame Morais, informou que o desvio de energia era feito na casa do empresário. “Existe uma fiscalização rotineira da Eletrobras, e foi constatado o desvio de energia elétrica, o furto, e a Greco foi acionado”, disse.

Além disso, o delegado informou que Franklin Kalume, em oito anos, nunca pagou uma conta de energia. De acordo com o delegado Laércio Evangelista, isso foi possível porque o empresário nunca solicitou um contrato junto à Eletrobras Piauí, tendo feito uma ligação completamente clandestina. "Ele nunca solicitou um cadastro justo à Eletrobras, estava totalmente à revelia. No momento que a pessoa faz qualquer construção ela tem que solicitar um cadastro, uma medição, fazer um contrato e ele nunca fez nada disso. Era uma ligação realmente clandestina”, explicou.

A ordem de prisão foi dada na residência dele, no apartamento Guimarães Rosa, localizado em frente ao Shopping Riverside, na avenida Raul Lopes. Para sua soltura foi arbitrada uma fiança no valor de 40 salários mínimos, o que corresponde a R$ 37.480,00.

MAIS NA WEB