PI - Teresina

Estudantes criticam Strans por mudança de linha de ônibus

Grupo de estudantes que residem no bairro Lourival Parente e no Conjunto Morada Nova afirma que mudança prejudicou dezenas de pessoas que costumavam utilizar a linha todos os dias.

LUCAS MARREIROS

- atualizado

Um grupo formado por estudantes que residem no bairro Lourival Parente e no Conjunto Morada Nova, na zona sul de Teresina, estão insatisfeitos com a fusão da linha 516 - Lourival Parente/Morada Nova/São João, que atende a região, com a 004 - IAPC/Cristo Rei. O coletivo afirma que a mudança no trajeto da linha prejudicou dezenas de pessoas que costumavam utilizá-la todos os dias.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Ônibus não estão rodando no centro de TeresinaStrans fundiu as linhas 516 - Lourival Parente/Morada Nova/São João e 004 - IAPC/Cristo Rei
  • "O Lourival Parente e, principalmente, o Morada Nova, são bairros universitários. A maioria das pessoas que moram aqui vieram do interior para a Capital para estudar e muitos utilizavam essa linha para ir para a faculdade, mas agora ela não passa mais lá", explicou a estudante universitária Socorro Pereira, uma das integrantes do grupo.

A mudança a que a estudante se refere foi anunciada pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) no último dia 24 e passou a valer nesta segunda-feira (31). Com a alteração, quem pegava a linha 516 para ir a Faculdade Estácio CEUT, por exemplo, agora deve utilizar as linhas 327 e 723 - Rodoviária Circular I e II, respectivamente.

"Um trajeto que levava 15 minutos para chegar lá agora leva quase uma hora, já que o Rodoviária roda muito antes de ir para o CEUT. Um dos integrantes do grupo, que estuda em uma faculdade na Avenida João XXIII, também usava a linha 516 até a Avenida dos Expedicionários e de lá pegava outro ônibus e agora não pode mais fazer isso. Foi uma mudança que prejudicou muita gente", ressaltou a estudante em entrevista ao GP1.

Ainda segundo a estudante, o grupo pretende se reunir e buscar um posicionamento. "Nós vamos nos reunir e provavelmente fazer um protesto na parada de ônibus do bairro para que alguma coisa seja feita. O que disseram é que essa mudança seria para dar agilidade e melhorar o serviço e para gente esse não foi o resultado", informou Socorro.

Outro lado

Procurada pelo GP1, a Strans, por meio do diretor de Transportes Públicos, Francisco Nogueira, afirmou que as mudanças fazem parte de um programa de melhorias no transporte público da Capital e as reclamações dos usuários nesse momento inicial estão sendo observadas e analisadas.

"Como têm pessoas que estão reclamando, também têm pessoas que estão elogiando, porque agora estão sendo contempladas, como os usuários da linha 004, que antes para ir ao shopping tinha que pegar dois ônibus e agora tem um que passa nos três shoppings da cidade", disse o diretor.

O diretor de transportes públicos informou ainda que a Strans está colocando pessoas nas paradas e fiscais dentro dos ônibus para analisar justamente isso com as pessoas. “Toda alteração causa impacto positivo e negativo. Se os pontos positivos forem maior é sinal de que a mudança é benéfica, se os negativos forem maior vamos analisar e estudar para que com os dados em mãos possamos ver que tipo de alterações possam ser complementadas”, finalizou Francisco Nogueira.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB