Polícia

Ex-governador do TO é preso em ação da PF contra fraude em obras

Ao todo, 113 mandados judiciais estão sendo cumpridos em seis estados.

NAYRANA MEIRELES

A Polícia Federal realiza nesta quinta-feira (13) a Operação Ápia para desarticular uma organização criminosa que atuou no Tocantins fraudando licitações públicas e execução de contratos administrativos para a terraplanagem e asfaltamento em rodovias estatuais.

Dois ex-governadores são alvos da operação. De acordo com informações do Estadão, Siqueira Campos foi conduzido coercitivamente, e Sandoval Cardoso foi preso temporariamente. A suspeita da PF é que a fraude tenha sido de R$ 1,2 bilhão.  

A operação ocorre em um conjunto com o Ministério Público Federal e Controladoria Geral da União. O foco da investigação são as obras nas rodovias licitadas e fiscalizadas pela secretaria de infraestrutura, que correspondem a 70% do valor total dos empréstimos contraídos.

  • Foto: DivulgaçãoPolicia FederalPolicia Federal

Ao todo, são cumpridos 113 mandados judiciais expedidos pela Justiça Federal  envolvendo 350 policiais sendo, 19 mandados de prisão temporária, 48 de condução coercitiva e 46 de busca e apreensão no Tocantins, Maranhão, Goiás, Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Brasília (DF) e Cocalinho (MT).

No estado do Tocantins, a operação é realizada em Araguaína, Gurupi, Goiatins, Formoso do Araguaia, Riachinho e Palmas. Em Goiás, nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis. No Maranhão, em São Luís, Governador Nunes Freire e Caxias. Segundo a PF, a investigação apontou um esquema de direcionamento de concorrências envolvendo órgãos públicos de infraestrutura e agentes públicos do Estado, nos anos de 2013 e 2014.

Mais conteúdo sobre:

Link do texto:

Ex-governador do TO é preso em ação da PF contra fraude em obras
http://www.gp1.com.br/noticias/ex-governador-do-to-e-preso-em-acao-da-pf-contra-fraude-em-obras-402737.html

© 2007-2016 GP1 - O Primeiro Grande Portal do Piauí. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.