Piauí - Isaías Coelho

Ex-prefeito Demazinho é condenado a 3 meses de prisão

O ex-prefeito não poderá ocupar cargos públicos por cinco anos.

GIL SOBREIRA

- atualizado
  • Foto: Divulgaçãoo ex-prefeito de Isaías Coelho, Waldemar Mauriz Filho.o ex-prefeito de Isaías Coelho, Waldemar Mauriz Filho

A Justiça Federal condenou o ex-prefeito de Isaías Coelho, Waldemar Mauriz Filho, o conhecido “Demazinho”, a 3 (três) meses de detenção por infração ao artigo 1°, Inciso V, do Decreto Lei 201/67. O ex-prefeito foi acusado pelo MPF de ordenar e efetuar despesas não autorizadas por lei. Também foram condenados a mesma pena a irmã, Gardênia Mauriz, ex-secretária de Educação e Maria das Graças Rocha Silva, ex-secretária de Saúde.

A sentença foi dada pela juíza substituta Vládia Maria de Pontes Amorim, da 3ª Vara Federal da Seção Judiciária do Piauí, em 17 de maio de 2017.

A pena privativa de liberdade foi substituída por uma restritiva de direito, no caso a de prestação pecuniária no valor de 1 (um) salário mínimo, em favor de uma entidade, pública ou privada, com destinação social, a ser indicada pelo juízo da execução penal.

A juíza decretou a perda de eventual cargo público ocupado e inabilitação por cinco anos para o exercício de cargo ou função pública, eletivo ou de nomeação, sem prejuízo da reparação civil do dano causado ao patrimônio público

Entenda o caso

Segundo informações constantes em representação formulada por alguns vereadores de Isaias Coelho, foi realizado procedimento licitatório, por meio de Carta-Convite nº 007/2008, com o objetivo de que fosse adquiridos materiais de construção destinados à Prefeitura Municipal, à Secretaria de Educação e Cultura, Saúde, Assistência e ao Hospital Municipal Joaquina Marques, com recursos oriundos do FPM, ICMS, FUNDEB, FME, FMS, FMA e AIH.

O valor global da licitação era no valor de R$ 79.053,00, sendo vencedora da licitação a empresa Macro Construções e Ferragens, de propriedade do Sr. Grigório Marcos.

No entanto, o valor repassado ao vencedor do certame, conforme constou na representação realizada pelos vereadores, foi de R$ 112.529,70, sendo a quantia de R$ 33.476,70, paga a maior que o valor licitado, além de terem sido realizadas várias compras isoladas a fornecedores escolhidos por Demazinho na qualidade de prefeito, Gardênia Mauriz, na qualidade de Secretária de Educação e Maria das Graças Rocha Silva, na qualidade de Secretária de Saúde, sem prévio procedimento licitatório, no importe de R$ 48.199,96.

Outro lado

Procurado pelo GP1 na manhã desta quinta-feira (01), o ex-prefeito não foi localizado para comentar o caso.