Piauí - Flores do Piauí

Ex-prefeito Máximo de Sá entra com ação no TJ para não ser preso

A ação de Revisão Criminal foi ajuizada em 13 de março de 2017 e distribuída para as Câmaras Reunidas Criminais. O relator sorteado foi o desembargador Joaquim Dias de Santana Filho.

GIL SOBREIRA

- atualizado

O ex-prefeito de Flores do Piauí, Máximo Ribeiro de Sáe o ex-vereador Sonaldo da Costa Moura, condenados a nove anos de prisão, cada um, em regime fechado, pelo assassinato dos irmãos Oliveira, ingressaram com ação de revisão criminal no Tribunal de Justiça do Piauí. O crime ocorreu há 23 anos e foi motivada por rixas políticas entre as famílias Miranda e Oliveira na cidade de Flores. Máximo Ribeiro de Sá, que na época era prefeito,  é acusado de assassinar Iuri Gagarin de Oliveira Rego. O ex-vereador é acusado de atirar contra o estudante José Vasconcelos de Oliveira Rego, irmão de Iuri. No crime quatro pessoas foram mortas, sendo três da mesma família

Em 12 de agosto de 2016, o juiz Ronaldo Paiva Nunes Marreiros, de Itaueira, determinou a expedição de mandado de prisão em desfavor de Máximo Ribeiro de Sá e Sonaldo da Costa Moura a pedido do Ministério Público em razão do transito em julgado da condenação imposta pelo Tribunal Popular do Júri.

A ação de Revisão Criminal foi ajuizada em 13 de março de 2017 e distribuída para as Câmaras Reunidas Criminais. O relator sorteado foi o desembargador Joaquim Dias de Santana Filho.

MAIS NA WEB