Piauí - Teresina

Família nega que mulher morta em Teresina fosse casada com suspeito

De acordo com pessoas próximas, Francisco Gomes Teixeira na verdade tinha uma obsessão pela vítima.

LUCAS MARREIROS

- atualizado

Amigos e familiares de Antônia Alves Martins, de 39 anos, morta a facadas na última sexta-feira (2), no Parque Vitória, zona sul de Teresina, estão desmentindo a declaração do suspeito, identificado como Francisco Gomes Teixeira, de 44 anos, de que ele seria casado com a vítima e que a teria flagrado na cama com outra mulher. De acordo com pessoas próximas, ele na verdade tinha uma obsessão por ela.

Os informes do crime foram dados inicialmente pela Polícia Militar (PM), com base no depoimento do suspeito, mas segundo familiares, Francisco Teixeira chegou a contar três diferentes versões sobre o acontecido.

“As informações foram totalmente equivocadas, primeiro porque o assassino não era marido da vítima, ele tinha um amor platônico por ela desde a infância, mas ela nunca mostrou interesse, ela o tratava como um irmão", explicou Francisco Abreu, pastor da igreja que Antônia Alves frequentava, no bairro Dignidade, também na zona sul da capital.

Falando em nome da família, o pastor afirmou que a vítima não tinha nenhum relacionamento e estava sozinha em casa quando o suspeito foi visitá-la. “Ela não tinha amante, não estava se relacionando com ninguém, e ele não encontrou ela na cama com ninguém, ele encontrou ela na casa dela e de maneira covarde e traiçoeira cometeu esse crime”, disse Francisco Abreu.

O pastor informou ainda que o suspeito se aproveitava da amizade que tinha com a vítima, desde a infância, para procurá-la ocasionalmente e assediá-la. "Ele voltou novamente a procurá-la no dia do crime, talvez tentando viver alguma situação com ela e ela não quis, daí então ele acabou cometendo essabarbárie", lamentou.

Antônia Martins deixou dois filhos, um de 10 e outro de 5 anos de idade. "Ela era uma mulher muito respeitada dentro da comunidade. Ela era comerciante autônoma e trabalhava muito para sustentar a casa e seus filhos", declarou Francisco Abreu.

Mais conteúdo sobre: