Política

Força-tarefa da Lava Jato reage à Câmara e ameaça renunciar

O procurador do Ministério Público Federal, Carlos dos Santos Lima, disse que a força-tarefa ameaça abandonar os trabalhos se a "proposta de intimidação de juízes e procuradores" for sancionada.

DEISE KESSLER

Nesta quarta-feira (30), procuradores da Operação Lava Jato repudiaram o que chamam de ataque feito pela Câmara contra as investigações e a independência dospromotores, procuradores e juízes.

De acordo com oG1, o procurador do Ministério Público Federal (MPF), Carlos dos Santos Lima, disse que a força-tarefa ameaça abandonar os trabalhos se a "proposta de intimidação de juízes e procuradores" for sancionada.

  • Foto: Rodrigo Félix Leal/Estadão ConteúdoProcurador do Ministério Público Federal, Carlos dos Santos LimaProcurador do Ministério Público Federal, Carlos dos Santos Lima

"Nós somos funcionários públicos. Temos uma carreira no estado e não estaremos mais protegidos pela lei. Se nós acusarmos, nós podemos ser acusados. Nós podemos responder, inclusive, pelo nosso patrimônio. Não é possível, em nenhum estado de direito, que não se protejam promotores e procuradores contra os próprios acusados. Nesse sentido, a nossa proposta é de renunciar coletivamente caso essa proposta seja sancionada pelo presidente", afirmou Lima.

Quando questionado por jornalistas sobre o que significava essa renúncia, o procurador respondeu "nós temos responsabilidade em outros locais, e vamos simplesmente voltar para nossas atividades", finalizou.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB