Piauí - Teresina

Freitas Neto diz que pode ser candidato ao Governo do Estado

“Na realidade, não pretendo exercer função política nenhuma. Estou dando opiniões, e não é contra ninguém, não é aquele negócio de candidato da oposição, estou a favor do Piauí", disse ele.

GERMANA CHAVES E THAIS GUIMARÃES

- atualizado

O diretor de Assuntos Econômicos da FIEPI (Federação das Indústrias do Estado do Piauí), Freitas Neto (PSDB), afirmou a imprensa nesta quarta-feira (27), que estará à disposição para disputar o cargo de governador do Piauí desde que seja para desenvolver o Estado e não para priorizar as questões políticas em detrimento aos interesses da sociedade.

Apesar de colocar que não possui mais interesse em disputar cargos eletivos, Freitas Neto ressaltou que é preciso adotar medidas emergenciais para resolver os problemas financeiros em que o Piauí está mergulhado. Ele fez questão de colocar que não estava falando como um membro da oposição, mas sim, como alguém que observa com imparcialidade o momento de crise que o estado está submergido.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Freitas NetoFreitas Neto

“Na realidade, não pretendo exercer função política nenhuma. Estou dando opiniões, e não é contra ninguém, não é aquele negócio de candidato da oposição, estou a favor do Piauí, não sou contra ninguém. Acho que o Piauí no rumo que está, só tratando de ‘rame-rame’ político, nós vamos afundar mais o estado que já está afundando financeiramente. O Piauí precisa de uma agenda positiva e meu nome está à disposição se for para construir essa agenda positiva, perseguindo os potenciais do Estado pra que ele cresça”, disse ele que já exerceu vários cargos na política piauiense, desde prefeito de Teresina a governador do Estado.

Freitas Neto ainda citou como exemplo o Ceará que, segundo ele, desde a década de 90, tem priorizado o desenvolvimento deixando as questões políticas em segundo plano.

“Nós temos o Ceará do nosso lado que tem uma agenda positiva desde 1986 quando o Tasso Jereissati foi para o governo. Eles seguem um caminho, estão crescendo, estão se desenvolvendo e nós aqui ainda ocupando a última, penúltima, antepenúltima posição em termos de desenvolvimento.”

O diretor de Assuntos Econômicos da FIEPI reforçou a insatisfação com a prioridade dada as questões políticas. “O Piauí passa por um momento que precisa de pessoas que pensem no futuro, que não fiquem nesse rami-rami que é uma coisa que incomoda qualquer empresário, profissional liberal ou uma pessoa que acompanhe a vida administrativa. Se passa uma eleição você já começa discutir a outra. Enquanto isso, não se discute os grandes problemas. O que se fala é que o Piauí está numa situação financeira altamente delicada e continuam tratando apenas de política’, concluiu Freitas Neto que concedeu as declarações durante inauguração da sede do PSC do Piauí.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB