Política

Geddel pede demissão a Michel Temer após denúncia de ex-ministro

Segundo o Blog Coluna do Estadão, Geddel foi acusado de precionar Calero para autorizar que o Iphan da Bahia liberasse a construção de um prédio onde tinha adquirido um apartamento.

DEISE KESSLER

- atualizado

Nesta sexta-feira (25), o ministro da Secretaria Geral de Governo, Geddel Vieira Lima, tomou a decisão de deixar o cargo ainda hoje para tentar estancar a crise política do Governo. Segundo a Veja, Geddel deixa o cargo seis meses após o governo Temer assumir o Palácio do Planalto.

Geddel foi acusado de pressionar Calero para autorizar que o Iphan da Bahia liberasse a construção de um prédio onde tinha adquirido um apartamento. No entanto, Calero se recusou a atender o pedido e procurou o presidente Michel Temer, mas percebeu que Temer decidiu ficar do lado de Geddel. 

Na carta de demissão, Geddel afirma que o sofrimento de seus familiares foi determinante para a decisão. “Avolumaram-se as críticas sobre mim. Em salvador, vejo o sofrimento de meus familiares. Quem me conhece sabe ser esse o limite da dor que suporto. É hora de sair”, escreveu o agora ex-ministro da Secretaria de Governo.

  • Foto: André Dusek/Estadão ConteúdoGeddel Vieira LimaGeddel Vieira Lima

Ainda em sua carta de demissão, Geddel diz que “fiz minha mais profunda reflexão e fruto dela apresento aqui este meu pedido de exoneração do honroso cargo que com dedicação venho exercendo. Retorno a Bahia, sigo como ardoroso torcedor do nosso governo, capitaneado por um presidente sério, ético e afável no trato com todos, rogando que, sob seus contínuos esforços, tenhamos a cada dia um país melhor” disse.


Link do texto:

Geddel pede demissão a Michel Temer após denúncia de ex-ministro
http://www.gp1.com.br/noticias/geddel-pede-demissao-a-michel-temer-apos-denuncia-de-ex-ministro-404954.html

© 2007-2016 GP1 - O Primeiro Grande Portal do Piauí. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.