Piauí

Governo do Piauí lança nota de esclarecimento sobre ataque hacker

Empresas de pelo menos 74 países, incluindo o Brasil, foram alvos de um ciberataque em “larga escala” nesta sexta-feira (12).

NAYRANA MEIRELES

- atualizado

Após organizações do mundo inteiro se manifestarem sobre o ataque de hacker de proporção mundial que ocorreu nesta sexta-feira (12), fazendo com que informações corporativas e de estado fossem cooptadas e usadas para fins não legais, o Governo do Estado do Piauí lançou uma nota de esclarecimento sobre o ocorrido.

“A Agência de Tecnologia da Informação do Estado do Piauí (ATI) adotou como medidas de segurança e prevenção o bloqueio de todo o acesso externo e interno à rede mundial de computadores (Internet). Tal medida evita que os servidores do datacenter do Estado e os computadores institucionais dos órgãos sejam afetados pelas invasões mencionadas acima”, disse parte da nota.

“Informamos que mesmo com o bloqueio de acesso à internet, os computadores que estiverem dentro da rede de dados do Estado conseguem acessar os sistemas estaduais sem prejuízos”, informou a ATI.

Entenda:

Empresas de pelo menos 74 países, incluindo o Brasil, foram alvos de um ciberataque em “larga escala” nesta sexta-feira (12). Os ataques atingiram hospitais públicos na Inglaterra, causaram a interrupção do atendimento do INSS e afetaram empresas e órgãos públicos de 14 estados mais o Distrito Federal.

Os hackers utilizaram uma brecha do sistema para codificar os computadores atingidos, tornando-os inacessíveis para o usuário. Depois exigiram o pagamento de resgates no valor de 300 dólares (cerca de 940 reais) para desfazer a criptografia. Sem o código em poder dos bandidos, é impossível reaver os dados.

Para receber o dinheiro o grupo criou dezenas de contas de bitcoin, uma moeda virtual usada para pagamentos na internet. Apesar dos especialistas recomendarem o que o resgate não seja pago, no começo da tarde já se podia verificar a movimentação nessas contas. Em apenas uma delas, foram pagos vinte resgates, no valor total de 6.000 dólares. O modelo de funcionamento da bitcoin, que é autogerenciada e não possui nenhuma instituição financeira ou governo por trás, garante que as transações aconteçam no anonimato e de forma não rastreável.

Veja nota do Governo na íntegra

Nota de Esclarecimento

Organizações do mundo inteiro estão sendo atacadas por Hackers nesta sexta-feira (12). Trata-se de um ataque cibernético mundial no qual informações corporativas e de estado estão sendo cooptadas e usadas para fins não legais. Com isso, a Agência de Tecnologia da Informação do Estado do Piauí (ATI) adotou como medidas de segurança e prevenção o bloqueio de todo o acesso externo e interno à rede mundial de computadores (Internet). Tal medida evita que os servidores do datacenter do Estado e os computadores institucionais dos órgãos sejam afetados pelas invasões mencionadas acima.

Informamos que mesmo com o bloqueio de acesso à internet, os computadores que estiverem dentro da rede de dados do Estado conseguem acessar os sistemas estaduais sem prejuízos.

Trecho da materia do portal Tecmundo sobre os ataques:

“Os relatos indicam que os hackers estão cobrando US$ 300 por computador bloqueado via ransomware. Caso você não saiba, o ransomware é um tipo de malware que, quando entra em um sistema, restringe o acesso e cobra um valor de "resgate" para que o usuário possa voltar a acessá-lo. Por exemplo, ao clicar ou baixar um arquivo malicioso, o computador de uma companhia é completamente compactado via criptografia. As companhias praticamente não têm como pegar novamente esses arquivos, a não ser que paguem o valor estabelecido pelo invasor — normalmente em bitcoin. Um modus operandi sofisticado, refinado, que não deixa traços, marcas ou trilhas de quem fez isso…”


https://pro.tecmundo.com.br/ataque-hacker/116630-chega-brasil-ataque-hacker-sequestrou-europa.htm

Logo que confirmarmos seguramente o fim dos ataques hackers, vamos normalizar o serviço de Internet para os órgãos do Estado do Piauí.

Mais conteúdo sobre: