Piauí - Teresina

Henrique Pires vai acompanhar obra do Centro de Convenções

Na próxima segunda-feira (15), haverá uma visita técnica à obra para verificar o andamento da obra.

O secretário nacional de Estruturação do Turismo, Henrique Pires, reuniu-se com o superintendente da Caixa Econômica Federal no Piauí, Elizomar Nunes Guimarães, na tarde dessa sexta-feira (13) para tratar da obra do Centro de Convenções de Teresina, cuja entrega havia sido anunciada para março deste ano. Na próxima segunda-feira (15), às 8h30, eles farão uma visita técnica à obra para verificar o andamento.

O Centro de Convenções foi iniciado em 2008 pelo Governo do Estado e passou por diversas fases de paralisação. Quando foi retomada em 2015, a obra estava com custo em torno de R$ 24 milhões e até o momento, segundo a Caixa Econômica Federal, 55% do total do projeto foi executado. No ano passado, a expectativa do Governo era entregar a obra em março deste ano. Porém, a obra ainda não foi entregue.

"A importância desse contato com a Caixa é que ela é o órgão contratado pelo Ministério do Turismo em todo o Brasil para acompanhar as obras que têm recursos disponibilizados pela Secretaria Nacional de Estruturação do Turismo. No Piauí, temos muitas obras paradas e outras que sequer começaram. Então, quero fazer da mesma forma que fizemos na Funasa, onde destravamos muitas obras importantes para o desenvolvimento do Estado. Isso é fundamental para que o Estado e os municípios não percam recursos", explica Henrique Pires.

  • Foto: Lucas Dias/ GP1Henrique PiresHenrique Pires

Além do Centro de Convenções, Pires solicitou apoio para a construção do Centro de Eventos da capital, que será erguido no Parque de Exposições Dirceu Arcoverde, e para o projeto de Urbanização da Praia Pedra do Sal, localizada na cidade de Parnaíba, litoral piauiense.

O Centro de Eventos de Teresina ainda não foi licitado, mas já tem R$ 40 milhões destinados pela Secretaria Nacional de Estruturação do Turismo. De acordo com Henrique Pires, essa obra é de grande importância para a capital porque é um equipamento com potencial para a realização de grandes eventos, contando com pavilhão para feiras e exposições, centro de convenções e congressos com espaço teatro multiuso, salas múltiplas, foyer, restaurante, lanchonete, administração, cozinhas, áreas de circulação, sanitários, além de 299 vagas de estacionamento VIP e autoridades, 1.222 vagas para automóveis e 20 vagas para ônibus e utilitários.

O terceiro projeto abordado por Henrique Pires, junto ao superintendente da Caixa, é o que trata da Urbanização da Pedra do Sal, cujo convênio foi assinado em junho de 2016 e a expectativa é que a licitação fosse feita até dezembro, mas não aconteceu. Entre as melhorias estão previstas a retomada do asfaltamento em direção a Pedra do Sal e a recuperação sobre a ponte do Rio Igaraçu, na região dos Portos das Barcas.

O superintendente regional da Caixa, Elizomar Nunes Guimarães, destaca que essa parceria fortalece os entendimentos para que os repasses sejam feitos e as obras sejam executadas. "Essa busca do entendimento dá mais efetividade para que os convênios de repasses de recursos do Governo Federal, através do Ministério do Turismo, sejam feitos. Com esse entendimento acredito que teremos maior efetividade na aplicação dos recursos", finalizou.

MAIS NA WEB