Piauí - Oeiras

Igreja do século XVIII contribuiu para o surgimento do Piauí

O GP1 conta um pouco da história da Igreja de Nossa Senhora da Vitória, ponto fundamental do surgimento da cidade de Oeiras e do estado do Piauí.

ANDRÉ DOS SANTOS

Passear por Oeiras, a primeira capital do Piauí, é como voltar no tempo. Os belos casarões imponentes dos séculos passados, as ruas calçadas por pedras e o jeito simples do povo oeirense relembram um pouco da história que o Piauí construiu ao longo dos séculos, e que são comemorados nesta quarta-feira (19), o Dia do Piauí. E na riqueza arquitetônica que todo o centro histórico do município revela, a Igreja de Nossa Senhora da Vitória ganha destaque com sua imponência e robustez.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Paróquia de Nossa Senhora da Vitória Paróquia de Nossa Senhora da Vitória

Fundada em 1733, a Igreja de Nossa Senhora da Vitória foi primeiro templo inaugurado e regulado no Piauí. Ela foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e representa a história do Estado, como conta o secretário municipal de Cultura de Oeiras, Stefano Ferreira. “A igreja representa um marco no povoamento e na formação do povo piauiense, visto que a Coroa Portuguesa e a Igreja foram responsáveis pela colonização dos sertões de dentro. Então, as primeiras vilas que deram origem à primeira capital do estado, surgiram em torno da igreja”, conta o secretário.

“Vários historiadores daqui do município nos dizem que toda cidade ‘portuguesamente brasileira’ nasce ao redor de uma igreja. E em Oeiras não podia ser diferente. É ali que surge a freguesia de Nossa Senhora da Vitória. Esse núcleo populacional vai crescendo no entorno da igreja, um dado que retrata esse caráter religioso da cidade, porque Oeiras cresce nesse contexto católico. E até hoje, a cidade possui esse fervor religioso”, enfatiza Stefano.

“Atualmente, os costumes religiosos ditam o cotidiano da cidade. Ainda hoje, a cidade se orienta pelos sinos da igreja: os sinos do batismo, sinos de morte, das festas religiosas. A igreja é uma referência importante para a nossa terra e conta muito sobre a formação do povo piauiense. Ao redor da igreja, Oeiras e o Piauí surgiram” diz o secretário.

A Fé que ultrapassa séculos

Para o padre responsável pela Igreja de Nossa Senhora da Vitória, padroeira do Piauí, o templo é primaz também na história espiritual do estado. “É na construção desta igreja que nasce a fé do povo piauiense. É aqui que nasce os primeiros passos da fé ao lado da virgem da Vitória, fé que segue viva durante todos esses séculos”, declarou.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Paróquia de Nossa Senhora da Vitória - Diocese de OeirasParóquia de Nossa Senhora da Vitória - Diocese de Oeiras

“Esta igreja tem ajudado o povo do nosso estado a caminhar na fé e na esperança, pois somos neste mundo, peregrinos. Para a data de hoje, a nossa mensagem para todos os piauienses é de que possam celebrar com alegria e amor a história e as conquistas do nosso estado”, declarou o pároco. Nesta quarta-feira (19), aniversário do Piauí, será celebrada uma missa em ação de graças pelo estado.

Em cada parede, um pouco de história, política e cultura

E quando adentramos na importância histórica e cultural da Igreja de Nossa Senhora da Vitória, indo além da esfera religiosa, fica mais evidente a riqueza que o templo guardara no templo. O secretário relata a riqueza da arquitetura do templo. “A igreja é também um museu. Ali existem várias peças sacras que vieram de Portugal. Nas paredes, o templo preserva um estilo arquitetônico barroco, mais simples e leve, com características ‘rococó’. Diferente de Minas Gerais, o nosso barroco é mais sertanejo, porque o nosso ciclo econômico era o ciclo do couro, do gado” relata.

O estilo arquitetônico é definido por especialistas como “curioso”. Ela foi construída pelos jesuítas, que trouxeram os sinos que até hoje badalam antes das missas celebradas no local. O relógio da igreja que veio de Liverpool, na Inglaterra, a prataria vinda de Portugal, tudo remonta ao modo como o Piauí foi colonizado.

A história política do Piauí também pode ser compreendida através das paredes da igreja. “É possível ver várias lápides no interior da catedral os nomes de personas importantes do período colonial e da época do império, que estão enterradas lá. O templo marca o início da civilização no Piauí e, consequentemente, os primeiros passos da política no Piauí”, relembra o Stefano Ferreira.

Novos investimentos

Investir na divulgação dos eventos religiosos tem sido uma saída encontrada pela prefeitura de Oeiras para atrair mais turistas durante o ano. “Nós desenvolvemos um trabalho de divulgação, de projeção da cidade. A Semana Santa é a principal época, onde atraímos o maior número de turistas. O número de visitantes se aproxima de 40 mil pessoas que circula nesse período, dentre romeiros de outras cidades e filhos de Oeiras” disse.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Igreja Matriz de Nossa Senhora da Vitória em Oeiras Piauí Igreja Matriz de Nossa Senhora da Vitória em Oeiras Piauí

Os investimentos vão desde a esfera pública, que patrocina emissoras de TV para a transmissão de festa religiosas na Igreja e pelas ruas da cidade, como a Procissão do Fogaréu e a procissão de Bom Jesus dos Passos, até a esfera privada, que percebeu o aumento de turistas e agora investe no mercado hoteleiro.


Link do texto:

Igreja do século XVIII contribuiu para o surgimento do Piauí
http://www.gp1.com.br/noticias/igreja-do-seculo-xviii-contribuiu-para-o-surgimento-do-piaui-403057.html

© 2007-2016 GP1 - O Primeiro Grande Portal do Piauí. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.