Brasil

Janot diz que ‘sentiu náusea’ quando ouviu gravação de Temer

Procurador-geral da República relata que ficou enjoado ao ouvir a conversa do presidente com Joesley Batista.

NAYRANA MEIRELES

- atualizado

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou nesta quarta-feira (05), que ficou enjoado ao ouvir a gravação da conversa entre o presidente Michel Temer e o empresário Joesley Batista, da JBS. “Fiquei chocado e senti náusea”, contou em entrevista à Globonews. “Foi minha reação física. Enjoado mesmo.”

Na gravação que foi uma das bases da denúncia da PGR contra o peemedebista, por corrupção passiva, Joesley relata a Temer em um encontro sem registro oficial no Palácio do Jaburu que “está bem” com o ex-deputado Eduardo Cunha, preso na Lava Jato, e que cooptou um procurador que o investigava.

Ao ser questionado sobre as críticas à denúncia, Janot lembrou que o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, flagrado recebendo uma mala de 500 mil reais de um diretor da JBS, foi indicado pelo próprio Temer a Joesley como seu intermediário. “Se isso é fraco, não sei o que é forte”, disse.

  • Foto: Dida Sampaio/Estadão ConteúdoRodrigo JanotRodrigo Janot

“Um empresário investigado tem uma conversa que ele grava com um ex-deputado acertando a ida dele à residência do presidente da República à noite, sem testemunhas. Chega ao palácio, não é sequer identificado na porta e tem uma conversa muito pouco republicana com o presidente”, disse Janot. “A narrativa é fortíssima.”

De acordo com informações do G1, o procurador-geral negou que o Ministério Público tenha orientado Joesley a gravar a conversa com Temer. “Essa gravação foi feita espontaneamente por aquele que seria o delator. [A PGR] Não combinou absolutamente nada.”