Política

João Henrique rebate Mádison e diz que convenção já foi aprovada

"Se tiver mudança de postura deles vai ter que fazer uma nova reunião para desaprovação da convenção que eles já tinham aprovado”, afirmou o ex-ministro.

GERMANA CHAVES

- atualizado

O presidente do Conselho Nacional do Sesi, ex-ministro João Henrique de Almeida Sousa, rebateu as colocações do deputado estadual João Mádison Nogueira de que seria necessário 30% dos votos da Executiva Regional do PMDB para realização da convenção extraordinária do partido em janeiro do próximo ano. O ex-ministro esclareceu que a consulta extemporânea já havia sido aprovada durante reunião da executiva estadual e ponderou que se houver mudança de opinião dos membros do diretório será preciso promover um novo encontro para desfazer o que já estava definido.

“Foi aprovada em reunião da executiva estadual, inclusive registrada em ata, a realização da convenção extraordinária do PMDB. Na ocasião, também ficou acertado que depois eu entregaria um ofício sugerindo a data da consulta e assim eu procedi e coloque a data para 27 de janeiro. Agora, se tiver mudança de postura deles vai ter que fazer uma nova reunião para desaprovação da convenção que eles já tinham aprovado”, frisou o ex-ministro.

  • Foto: Lucas Dias/GP1João HenriqueJoão Henrique

Considerando a hipótese de desaprovação da consulta extemporânea, o presidente nacional do Sesi também se posicionou e já adiantou que não vai brigar com o PMDB. “Vou de acordo com a música, se não querem em janeiro, só querem em julho [data da convenção tradicional] pois bem. Mas, acho que nesta data eles terão mais dificuldade de vencer, pois haverá um desgaste maior. Não brigo com o PMDB e pretendo ser candidato com partido unido em derredor de minha candidatura [a governador do Piauí].”

O ex-ministro ainda colocou: “Pedi de forma amigável uma reunião extraordinária porque achei que era o melhor [opção]para o partido e a executiva aprovou. Mas, se estão entendendo agora que não devem mais fazer, então reúne a executiva e desaprova o que está aprovado, não terá problema”, afirmou João Henrique.

Entenda

O pedido de convenção de João Henrique tem como objetivo ouvir a vontade da maioria dos delegados do PMDB quanto ao pleito do próximo ano. O Partido hoje atravessa um impasse interno já que uma ala quer a continuidade da aliança com o Governo Wellington Dias (PT), diferente do que pensa o grupo do ex-ministro que tem defendido que os peemedebistas apresentem candidatura ao Palácio de Karnak em 2018.

MAIS NA WEB