Brasil

Joesley afirma que é a "joia da coroa" do Ministério Público

A declaração de Joesley é por causa das delações premiadas que foram realizadas, onde ele afirmou que por causa disso a procuradoria-geral instaurou diversos inquéritos.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

Um dos trechos do áudio que será investigado pela Procuradoria Geral da República (PGR), o empresário Joesley Batista, um dos donos do grupo J&F, em conversa com o diretor de Relações Institucionais da empresa, Ricardo Saud, afirmou que os executivos da empresa eram a "joia da coroa" do Ministério Público.

A declaração de Joesley é por causa das delações premiadas que foram realizadas, onde ele afirmou que por causa disso a procuradoria-geral instaurou diversos inquéritos e apresentou denúncias contra vários políticos. Na gravação, o empresário Joesley Batista revela que o ex-procurador da República Marcelo Miller teria incentivado Rodrigo Janot a fechar acordo de delação premiada com os executivos da J&F.

  • Foto: Joesley BatistaNewton Menezes/Futura Press/Estadão ConteúdoNewton Menezes/Futura Press/Estadão Conteúdo

"Nós somos a joia da coroa deles [Ministério Público Federal]. O Marcelo [Miller] já descobriu e já falou com o Janot: 'Ô, Janot, nós temos o cara [Joesley], nós temos o pessoal que vai dar todas as provas que nós precisamos'. Ele já entendeu isso", disse Joesley em conversa com Ricardo Saud, que teria sido gravada acidentalmente no dia 17 de março.

O empresário afirmou na gravação que esse ex-procurador Marcelo Miller, que saiu da PGR em abril deste ano e passou a atuar no escritório de advocacia Trench Rossei e Watanabe que atende a JBS, repassava informações a Janot por meio de um "amigo em comum".

  • Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão ConteúdoRodrigo Janot Rodrigo Janot

Ricardo Saud ainda disse na gravação que Marcelo Miller revelou que Janot poderia atuar com ele no mesmo escritório de advocacia quando saísse da procuradoria-geral da república. Devido a esses áudios, o Janot determinou a abertura de uma investigação para tentar descobrir se os executivos do grupo J&F, controladores do frigorífico JBS, omitiram informações durante a realização da delação premiada.

Confira um dos trechos da gravação:

Ricardo Saud: "O Janot vai sair e vai ficar com Marcelo no escritório."

Joesley Batista:"Mas então você tá confirmando minha tese, que sempre pensei ,que te falei que ele [Miller] vai no banheiro e conta pra alguém."

Ricardo Saud:"Não, diz que é o Janot... Amigo em comum, que é dono de escritório, que é onde Janot vai trabalhar. Já entendi, Marcelo saiu antes, tem um outro saindo, Cristian... e o Janot não vai concorrer [à reeleição na PGR], vai sair, vai vir advogar junto com ele e esse Cristian nesse escritório. Escritório único, ele, esse Cristian e Janot."

MAIS NA WEB