Piauí - Teresina

Jovem pode ter sido assassinada por acerto de contas em Teresina

“O crime contra a vida tem sua complexidade, por isso, é necessário ter cautela para que possamos apontar o autor e a motivação do crime”, declarou o delegado Barêtta, que investiga o caso.

THAIS GUIMARÃES

- atualizado

A Polícia Civil do Piauí, por meio da Delegacia de Homicídios, está investigando o caso da jovem Nayara Soraia da Silva, 18 anos, assassinada com um tiro no pescoço na noite da última terça-feira (04) em uma residência na região da Vila Nova, zona leste de Teresina.

O GP1 conversou, na manhã desta quinta-feira (06), com o delegado Francisco Costa, o Barêtta, que falou a respeito da investigação. “O crime contra a vida tem sua complexidade, por isso, é necessário ter cautela para que possamos apontar o autor e a motivação do crime”, declarou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Delegado Francisco BarettaDelegado Francisco Baretta

Segundo o coordenador da Delegacia de Homicídios, foram ouvidas testemunhas e a menina que estava na companhia de Nayara durante o ocorrido. “Essa jovem tinha um relacionamento amoroso com a vítima e foi ouvida. A informação inicial é de que os acusados vieram correndo na direção da moça e atiraram. Outra história que surgiu é a de que ela estava sendo ameaçada por traficantes de drogas, mas estamos fazendo os levantamentos, porque as vezes o que parece ser não é”, informou.

Ainda de acordo com Barêtta, a polícia tem 30 dias para concluir a investigação. “O Código de Processo Penal diz que o delegado de polícia tem 30 dias para investigar, e se o caso for complexo, ele pode pedir dilação de prazo”, explicou.

Mais conteúdo sobre:

Link do texto:

Jovem pode ter sido assassinada por acerto de contas em Teresina
http://www.gp1.com.br/noticias/jovem-pode-ter-sido-assassinada-por-acerto-de-contas-em-teresina-402397.html

© 2007-2016 GP1 - O Primeiro Grande Portal do Piauí. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.