Brasil

Juiz de São Paulo manda quebrar sigilo telefônico de jornalista

Atualmente a jornalista Andreza Matais trabalha no “O Estado de São Paulo”.

DEISE KESSLER

A Justiça de São Paulo mandou quebrar o sigilo telefônico da Jornalista Andreza Matais, que trabalhou na Folha de São Paulo e atualmente trabalha no “O Estado de São Paulo”, para identificar a fonte de uma série de reportagens publicadas por ela em 2012.

De acordo com a Folha de São Paulo, os textos publicados apontavam que uma sindicância foi aberta pelo Banco do Brasil para apurar uma movimentação atípica de cerca de R$ 1 milhão em benefício do ex-vice-presidente Allan Toledo.

Segundo o juiz Rubens Pedreiro Lopes, do Departamento de Inquéritos Policiais, a quebra de sigilo era "indispensável para o prosseguimento das investigações" abertas a pedido do ex-vice-presidente do BB. 

Philippe Nascimento, do escritório Dias e Carvalho Filho Advogados, informou que "jamais se pode quebrar o sigilo telefônico de um jornalista, porque se coloca em risco o sigilo da fonte e da liberdade de imprensa", disse. Ele representa a jornalista a pedido da Folha.