PI - Canto do Buriti

Juiz Eleitoral cassa prefeito Marquinhos e determina nova eleição

Marcos Nunes ainda teve decretada a inelegibilidade pelo período de 08 anos contados da data da eleição para gestor municipal de 2016, que ocorreu em 02 de outubro de 2016.

RAISA BRITO

- atualizado
  • Foto: DivulgaçããoPrefeito de Canto do Buriti, MarquinhosPrefeito de Canto do Buriti, Marquinhos

O juiz eleitoral José Carlos da Fonseca Lima Amorim cassou, no último dia 7 de junho, os diplomas do prefeito e vice de Canto do Buriti, Marcos Nunes Chaves, mais conhecido como Marquinhos e Marcus Fellipe Nunes Alves por conduta vedada.

Segundo a decisão, o prefeito Marcos Nunes compareceu, nos três meses que precedem o pleito, a inaugurações de obras públicas nas eleições municipais de 2016, e que o vice, com base no princípio da indivisibilidade da chapa, foi beneficiado com o ato constado.

Marcos Nunes ainda teve decretada a inelegibilidade pelo período de 08 anos contados da data da eleição para gestor municipal de 2016, que ocorreu em 02 de outubro de 2016.

O Presidente da Câmara Municipal de Canto do Buriti deverá ser comunicado da cassação dos diplomas dos representados, para que assuma o cargo de chefe do executivo até que se realize nova eleição no município.

Cabe recurso ao Tribunal Regional Eleitoral.

Denúncia

A ação foi apresentada por Antonio de Noronha Silva que afirmou que “o representado Marcos Nunes Chaves, em agosto de 2016, estava inaugurando obra de asfaltamento da cidade de Canto do Buriti, juntamente com o deputado federal Paes Landim, como aparecem em fotos expostas nos autos. Salienta que em nota cybernética, Regiane Machado de Sousa aparece em diversos trechos constantes nos autos enaltecendo os feitos do asfaltamento ao deputado Paes Landim e ao atual prefeito, à época, ora representado, Marcos Nunes Chaves”.

Disse ainda que o prefeito utilizou dessa obra de asfaltamento em seus comícios, sendo parabenizados por populares.

O prefeito declarou que pelo fato da ordem de serviço ter sido expedida em junho de 2016, achou que poderia ter participado dessa execução de obra pública. Afirmou também que a participação do deputado Paes Landim, em período eleitoral, não foi proposital e sim que o mesmo resolveu aparecer sem qualquer aviso prévio, permitindo assim mostrar a obra pública ao deputado.

Marcus Fellipe apresentou defesa afirmando que se afastou à época do cargo em comissão que exercia para participar como vice-prefeito de Marcos Nunes Chaves, que não estava nos dias das inaugurações do asfaltamento e do calçamento e que não teve conhecimento da divulgação das fotos que o prefeito à época aparece com o deputado Paes Landim. Declarou ainda que participou de comícios e não de inaugurações de obras públicas.

Outro lado

Procurado pelo GP1, na noite desta quarta-feira (14), o prefeito Marquinhos não foi localizado para comentar a decisão. O GP1 continua aberto para quaisquer esclarecimentos.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB