Brasil

Lei que institui Dia Nacional do Perdão é sancionada

A autora do texto é a deputada Keiko Ota (PSB-SP), que escolheu a data em alusão ao dia da morte de seu filho, Ives Ota, sequestrado e assassinado aos 8 anos.

SUYNARA OLIVEIRA

- atualizado

Nessa quarta-feira (19), o presidente Michel Temer sancionou a lei que institui o dia 30 de agosto como o Dia Nacional do Perdão. A nova lei foi publicada nesta quinta-feira (20) no Diário Oficial da União.

Em abril de 2015, o projeto de lei foi aprovado na Câmara dos Deputados e no dia 28 de março, no Senado Federal. A autora do texto, a deputada Keiko Ota (PSB-SP), escolheu a data em alusão ao dia da morte de seu filho, Ives Ota, sequestrado e assassinado aos 8 anos.

De acordo com a Agência Brasil, Keiko justificou a criação da PLC 31/2015 como uma forma de propor uma reflexão sobre o tema, além de ressaltar a luta de diversos movimentos sociais e parentes por justiça. Ela e o marido, Masataka Ota, fundaram, em 1997, o Movimento Paz e Justiça Ives Ota.

“Lembro a memória de meu filho, Ives Ota, sequestrado e assassinado brutalmente aos 8 anos. Eu e meu marido, Masataka Ota, perdoamos aqueles que causaram esse mal à minha família”, destacou a deputada.

O menino de 8 anos foi sequestrado em agosto de 1997, em São Paulo. Ives foi morto no dia seguinte após reconhecer um dos envolvidos no sequestro, um policial militar que fazia bicos como segurança em uma loja da família. Mesmo depois da execução, o grupo continuou negociando o resgate. Os três envolvidos no caso foram condenados.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB