PI - Teresina

Leitor denuncia circulação de animais no Hospital do Promorar

Segundo a denunciante, a área da enfermaria possui um aparelho de ar-condicionado, mas ele não está funcionando.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

O GP1 recebeu uma denúncia, de uma pessoa que preferiu não se identificar, sobre a falta de ar-condicionado no Hospital do Promorar, na zona sul de Teresina, para os pacientes que estão internados e principalmente o fato de que os funcionários permitem que animais, como gatos, circulem dentro do hospital.

Segundo a denunciante, a área da enfermaria possui um aparelho de ar-condicionado, mas ele não está funcionando. Cada paciente precisa levar um ventilador para tentar enfrentar o calor. “Estou acompanhando minha mãe, que está internada no Hospital do Promorar, na enfermaria feminina, que comporta 7 pacientes. Nesse local não tem ar-condicionado, o aparelho está quebrado há muito tempo, e cada paciente tem que dar seu jeito para trazer um ventilador de casa, isso se tiver. Na enfermaria masculina a mesma situação”, disse.

  • Foto: GP1Enfermaria feminina Enfermaria feminina

Outra preocupação é a circulação de animais dentro do hospital, já que a sua mãe está com a imunidade baixa. Ela afirmou que os funcionários alimentam os animais em uma área próxima a enfermaria onde estão internados os pacientes e que existe a preocupação com a transmissão de doenças, o que pode agravar ainda mais a situação dos que estão internados.

“Também tem um gato nas dependências do hospital, infelizmente ainda não consegui fazer foto. Esse animal fica circulando entre o hospital e a UPA, que fica ao lado. Os funcionários nada fazem para que ele vá embora, inclusive colocam água para ele, bem perto do lugar onde minha mãe está internada”, denunciou.

Outro lado

O GP1entrou em contato com a Assessoria de Imprensa da Fundação Municipal de Saúde (FMS) que informou que foi feita a compra de novos aparelhos de ar-condicionados e que eles já começaram a ser instalados. Em relação ao animais, a diretoria informou que uma ONG de proteção aos animais sempre é acionada para que eles sejam retirados do local e que o funcionário que os alimenta já foi alertado para que essa situação não se repita.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB