Política

Lula diz que já provou inocência e pede fim da ‘palhaçada’

Ex-presidente discursou nesta quinta-feira (01) na abertura do congresso do PT.

NAYRANA MEIRELES

- atualizado

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quinta-feira (01), ao discursar na abertura do 6º Congresso Nacional do PT, em Brasília, que já provou a inocência e pediu o fim da “palhaçada” das acusações contra ele.

"Eu não quero que vocês se preocupem com meu problema pessoal. Esse, eu quero decidir com o representante do Ministério Público, da Lava Jato. Quero decidir com eles. Eu já provei minha inocência, agora vou exigir que eles provem minha culpa, porque cada mentira contada será desmontada", disse o ex-presidente.

Lula é réu no âmbito das operações Lava Jato e Zelotes. O Ministério Público Federal o acusa de ter sido beneficiado com o esquema de corrupção que atuou na Petrobras, o que o ex-presidente sempre negou.

  • Foto: Eduardo Frazão/FramePhoto/EstadãoConteúdoEx-presidente LulaEx-presidente Lula

"Eu e Dilma temos até conta no exterior. Eu nem sabia que ela tinha e ela não sabe que eu tenho. Um canalha diz que fez uma conta para mim e uma para a Dilma, mas que está no nome dele. E ele mexe com a grana. Então, é o seguinte: chegou o momento de parar com a palhaçada nesse país. Esse país não comporta mais viver nessa situação de achincalhamento e o Partido dos Trabalhadores tem de dar uma resposta clara para a sociedade", acrescentou Lula.

Lula participa até sábado (03), do Congresso do PT, onde será elegido o novo presidente nacional da sigla. De acordo com informações do G1, até a noite desta quinta-feira (01), havia três candidatos: os senadores Gleisi Hoffmann (PR) e Lindbergh Farias (RJ), além de um nome ligado ao movimento negro, José Oliveira.

Entre os presentes no evento, estavam a ex-presidente Dilma Rousseff, os governadores Wellington Dias (PI) e Fernando Pimentel (MG), os ex-ministros Jaques Wagner e Edinho Silva, deputados e senadores.