Política

Lula diz que propina foi criada para prejudicar os políticos

“A palavra propina foi inventada pelos empresários para tentar culpar os políticos - ou pelo Ministério Público", afirmou.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

O ex-presidenteLuiz Inácio Lula da Silva afirmou na segunda-feira (24) que foram os empresários, com aval do Ministério Público, que criaram a palavra propina com o objetivo de culpar os políticos por esquemas de corrupção no país. A declaração foi dada em entrevista à rádio Tiradentes, do Amazonas.

Lula justificou que nas campanhas é natural o político ter ajuda de empresários e que isso acabou se tornando algo criminoso. Ele ainda afirmou que se não for criado um fundo de financiamento, os políticos vão continuar dependentes de empresários.

“A palavra propina foi inventada pelos empresários para tentar culpar os políticos - ou pelo Ministério Público. Por tudo o que leio na imprensa, os empresários sempre deram dinheiro para campanha. Eu não conheço um político em Manaus ou em São Paulo que vendeu a casa para ser candidato. Todos eles pedem dinheiro para empresário, a vida inteira, desde que foi proclamada da República. A diferença é que agora transformaram as doações em propina, então ficou tudo criminoso. Se os políticos não tiverem coragem de mudar a legislação eleitoral, de criar um fundo de financiamento de campanha para que não fiquem mais dependentes de empresário, o Brasil não vai ter jeito”, declarou.

  • Foto: Alex Silva/Estadão ConteúdoLula durante coletiva sobre sua condenaçãoLula

Sobre as eleições de 2018, ele acredita que é importante que o Partido dos Trabalhadores atue de forma separada dos demais partidos nas eleições presidenciais. A preocupação é com o que aconteceu com Dilma Rousseff (PT) que acabou perdendo apoio de aliados, principalmente do seu então vice-presidente Michel Temer (PMDB).

“É por isso que nessas eleições de agora (2018) eu pedi para que o PT saísse separado para demarcar um pouco o nosso discurso. Porque pode dar a impressão de que está todo mundo na mesma bacia e não é verdade. É preciso que a gente mostre diferença política nesse momento”, afirmou.

Segundo O Globo, quando o presidente foi questionado sobre o tratamento “duro” que tem dado aos críticos, ele disse que “o dia que você for acusado de ladrão, que te acusarem de lavagem de dinheiro, o dia em que seu neto vier perguntar se é verdade o que estão falando, você vai ser muito mais duro do que eu. Vai ficar com muito mais raiva do que eu, porque eu sou um homem controlado. Eu tenho noção de responsabilidade, eu sei o que eu sou, o que tenho nesse país. Não posso permitir que nenhum brasileiro tenha autoridade para me chamar de ladrão ou de dizer que pratiquei lavagem de dinheiro”.

Condenação

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, condenouLula a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Além disso ele foi condenado ao bloqueio de bens. O Banco Central bloqueou R$ 606.727,12 mil e a BrasilPrev fez o bloqueio de R$ 9 milhões do ex-presidente, sendo que são R$ 7.190.963,75 milhões relativos a um plano empresarial da LILS (empresa de palestras do petista) e o outro de R$ 1.848.331,34 milhão, que se refere a um plano individual. Além do dinheiro, o juiz Sérgio Moro confiscou de Lula três apartamentos e um terreno, todos os imóveis localizados na cidade de São Bernardo do Campo, e também dois veículos.

Mais conteúdo sobre: