Piauí - Esperantina

Mãe pode ser indiciada por estupro contra a filha em Esperantina

De acordo com o delegado Leonardo, o promotor de Justiça está analisando a possibilidade de encaminhar a criança para outro ambiente, que não seja o lar da família da mãe.

THAIS SOUZA

- atualizado

O delegado Leonardo Alexandre informou ao GP1na manhã dessa segunda-feira (13) que no final do inquérito policial, a mãe da criança de 12 anos que foi violentada sexualmente pelo padrasto, Rogério Lopes Fernandes, pode ser indiciada pelo crime cometido contra a própria filha.

Conforme o delegado Leonardo, a identidade da genitora não será revelada por proteção a menor de idade. “A partir do momento que ela tinha conhecimento que os fatos estavam acontecendo e não tomou nenhuma providência para evitar que o crime acontecesse ela se torna responsável também. E ela não dá nenhuma explicação razoável para não ter acionado a polícia”, disse.

Durante o depoimento, a mãe da criança informou para a polícia que tomou conhecimento do crime, através da criança. E inclusive, o padrasto saiu de casa em 2016, por conta do fato. “Posteriormente ele retornou, e a mãe aceitou normalmente ele em casa, e a partir daí continuou acontecendo o crime. No depoimento, ele [Rogério] nega o crime, mas os fatos são evidentes”, contou o delegado.

“O Ministério Público foi comunicado e os promotores de Justiça estão cientes da situação, e ao que me parece o promotor já está analisando a questão de encaminhar a criança para outro ambiente, que não seja o lar familiar da mãe. Além desse caso estamos analisando se há outras vítimas, pois fomos informados que possivelmente a vizinha, uma menina de 8 anos, também foi violentada por ele”, finalizou.

MAIS NA WEB