Política

Maia quer votar o 'mais rápido possível' denúncia contra Temer

Não dá para ficar carregando isso para o próximo semestre. Para o Brasil, é importante que o assunto termine logo, não pode ficar 15 dias pendurado no recesso e parando o Brasil", afirmou.

BÁRBARA RODRIGUES

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quinta-feira (15) que pretende colocar o mais rápido possível em votação a denúncia que deverá ser apresentada pela Procuradoria-Geral da República, por meio de Rodrigo Janot, contra o presidente Michel Temer (PMDB).

Ao G1, em entrevista à coluna da jornalista Andréia Sadi, o presidente da Câmara afirmou que é importante que a votação ocorra de forma rápida, pois quanto mais demorar, mais prejudicial será ao país. "Não dá para ficar carregando isso para o próximo semestre. Para o Brasil, é importante que o assunto termine logo, não pode ficar 15 dias pendurado no recesso e parando o Brasil", afirmou Rodrigo Maia.

  • Foto: Dida Sampaio/Estadão ConteúdoRodrigo MaiaRodrigo Maia

Rodrigo ser reuniu nesta quinta-feira na residência oficial do Palácio do Jaburu com o presidente Michel Temer e os ministros Moreira Franco e Mendonça Filho. A votação do processo teria sido tema de discussão, assim como a viagem do presidente à Rússia e à Noruega, o que fará com que Rodrigo Maia assuma temporariamente a Presidência da República.

Votação

O presidente da República pode ser denunciado ainda na próxima semana pelo procurador-geral Rodrigo Janot com base na delação premiada realizada pelo empresário Joesley Batista, só que a abertura do processo só pode acontecer se a Câmara Federal autorizar. Janot precisa que 2/3 dos deputados, ou seja, 342 dos 513 votem favorável à abertura do processo no STF.

Michel Temer estaria se reunido com deputados com o objetivo de fazer com que o processo não seja aceito. Se a abertura do processo fosse aprovada, ele teria que se afastar do cargo por 180 dias.